SNiP 2.01.07-85 - determinação e registro de cargas temporárias e permanentes

1. DISPOSIÇÕES GERAIS

1.1.O projeto deve levar em conta o estresse causado durante a construção e operação das instalações, bem como na fabricação, armazenamento e transporte de estruturas de construção.

1,2.As principais características das cargas estabelecidas neste regulamento, são os seus valores de referência.

carregar um determinado tipo caracteriza-se, em regra, um valor padrão. Para cargas de pessoas, animais, pisos equipamento de edifícios residenciais, públicos e agrícolas, a partir da ponte e pontes rolantes, neve, impactos climáticos temperatura é equipado com dois valores padrão: completo e reduzida( para ser inserido na conta quando a necessidade de considerar o efeito da duração da carga, testando a resistênciae em outros casos especificados nas normas de projeto de estruturas e fundações).

1.3.O valor calculado da carga a ser determinada como o produto do valor padrão para o factor de segurança de carga gf, correspondente ao estado limite considerado e recebido: um

buy instagram followers

) * para calcular a resistência e estabilidade - em conformidade com as reivindicações.2,2, 3,4, 3,7, 3,11, 4,8, 6,11, 7,3 e 8,7;

b) no cálculo da resistência - igual a um;

c) no cálculo das deformações - igual a um se os padrões de projeto estrutural e os fundamentos não estão definidos outros valores;

g) o cálculo em outros tipos de estados limitantes - de normas de concepção estrutural e bases.

valores calculados de cargas na presença de estatísticas podem ser determinadas directamente a partir de uma dada probabilidade excedido. Ao calcular estruturas

e bases para montagem condições edifícios e estruturas valores de neve, vento, cargas de gelo e temperatura efeitos climáticos calculados deve ser reduzida em 20%.

Se necessário, com base na força e resistência em situação de incêndio sob impactos explosivos, colisões de veículos com peças de estruturas coeficientes de confiabilidade de toda a carga em conta quando esta carga deve ser tomado como unidade. Nota

.Para cargas com dois valores padrão valor calculado correspondente deve ser determinada com o mesmo factor de fiabilidade da carga( para a condição limitante considerado).

( Edição revista. Var. № 2).

CLASSIFICAÇÃO DE CARGAS

1.4.Dependendo da duração das tensões deve distinguir entre( específico curto longo,) de carga permanente e temporária.

1.5.O estresse causado durante estruturas de fabrico, de armazenamento e de transporte, bem como na construção de edifícios, deve ser levado em conta nos cálculos como uma carga de curto prazo.

Feito
TSNIISK.Kucherenko Comitê de Construção de Estado da URSS
aprovado


decreto do Comitê Estadual da URSS em construção
assuntos
de 29 de agosto de 1985 № 135
Term
introdução

em vigor 1º de janeiro de 1987 tensões

decorrentes na fase de operação das instalações, deve ser considerada emde acordo com as reivindicações.1,6-1,9.

1,6.Para cargas constantes devem ser incluídos:

a) partes em peso de edifícios, incluindo o peso do rolamento e protecção de estruturas;

b) o peso e de pressão de solos( aterros, backfills) confinando pressão.

salvos no projeto ou com base nos esforços de pré-esforço deve ser considerada no cálculo como os esforços das cargas permanentes.

1,7 *.Para cargas de longo prazo devem ser incluídos:

a) o peso de partições temporárias, molhos e podbetonok de equipamentos;

b) o peso do equipamento fixo: máquinas, aparelhos, motores, tanques, tubagens com acessórios, peças de suporte e isolante, transportadores de correia, gruas permanentes com os seus cabos e as guias, bem como o peso dos líquidos e sólidos, o equipamento de enchimento;

c) a pressão dos gases, líquidos e corpos livres nos recipientes e oleodutos, e a sobrepressão de ar subpress, que ocorre quando os poços de ventilação;

d) a carga sobre a sobreposição de bens armazenados e equipamentos de armazenamento em áreas de armazenamento, frigoríficos, celeiros, pilhas, bibliotecas e áreas semelhantes;

E) influências tecnológicas térmicas de equipamentos estacionários;

e) peso da camada de água em superfícies planas cheias de água;G) peso de depósitos industriais de poeira, se a acumulação não for excluída por medidas apropriadas;H) cargas de pessoas, animais, equipamentos nos pisos de edifícios residenciais, públicos e agrícolas com valores padrão reduzidos, dados na Tabela.3;

i) Cargas verticais de guindastes de ponte e suspensão com um valor padrão reduzido determinado multiplicando o valor padrão completo da carga vertical de uma torneira( ver § 4.2) em cada intervalo do edifício por um fator: 0.5 - para grupos de modos de operação de 4K-6K;0,6 - para o grupo do modo de operação das gruas 7K;0,7 - para o grupo de modo de operação de guindastes 8K.Grupos de modos de operação de guindastes são aceitos de acordo com o GOST 25546-82;

( k) Cargas de neve com um valor de projeto reduzido determinado multiplicando o valor total calculado por um fator de 0,5;

l) influências climáticas de temperatura com valores normativos reduzidos, determinados de acordo com as indicações dos parágrafos.8.2-8.6 sob a condição q1 = q2 = q3 = q4 = q5 = 0, DI = DVII = 0;

m) impactos causados ​​por deformações do substrato, não acompanhadas por uma mudança radical na estrutura do solo, bem como o descongelamento dos solos de permafrost;

n) impactos causados ​​por mudanças na umidade, encolhimento e fluência de materiais.

Nota. Em áreas com uma temperatura média de janeiro de menos 5 ° C e superior( de acordo com o mapa 5 da aplicação 5 para SNiP 2.01.07-85 *), as cargas de neve com um valor de projeto reduzido não estão instaladas.

( edição alterada, alteração nº 2).

1,8 *.As cargas a curto prazo devem incluir:

a) cargas de equipamentos provenientes dos modos de partida, transição e teste, bem como durante a sua substituição ou substituição;B) o peso das pessoas, reparar materiais nas áreas de manutenção e reparação de equipamentos;C) cargas de pessoas, animais, equipamentos nos pisos de edifícios residenciais, públicos e agrícolas com valores normativos completos, além das cargas especificadas em 1.7, a, b, d, d;

d) cargas do equipamento de movimentação móvel( carregadores, carros elétricos, guindastes empilháveis, guindastes, bem como de guindastes de ponte e suspensão com valor normativo completo);E) cargas de neve com valor calculado completo;

e) efeitos climáticos de temperatura com um valor normativo completo;G) cargas de vento;H) cargas de gelo.

( edição revisada, alteração nº 2).

1.9.Cargas especiais devem ser atribuídas a:

a) impactos sísmicos;B) efeitos explosivos;

c) cargas causadas por falhas anormais do processo, mau funcionamento temporário ou falha do equipamento;

d) efeitos causados ​​por deformações da base, acompanhada de uma mudança radical na estrutura do solo( com solos de subsidência de imersão) ou subsidência nas áreas de funcionamento das minas e no karst.

COMBINANDO CARGAS

1.10.O cálculo de estruturas e bases nos estados limitantes do primeiro e segundo grupos deve ser realizado levando em consideração combinações desfavoráveis ​​de cargas ou os esforços correspondentes.

Estas combinações são estabelecidas a partir da análise de variantes reais de ação simultânea de várias cargas para o estágio de operação da estrutura ou base em questão.

1.11.Dependendo da composição da carga levada em consideração, é necessário distinguir:

a) as principais combinações de cargas, consistindo de permanente, longo e curto prazo;B) combinações especiais de cargas, consistindo em carga permanente, a longo prazo, a curto prazo e uma de cargas especiais.

As cargas temporárias com dois valores normativos devem ser incluídas nas combinações a longo prazo - com um valor padrão reduzido, a curto prazo - levando em consideração o valor normativo completo.

Em combinações especiais de cargas, incluindo efeitos explosivos ou cargas causadas por colisão de veículos com partes de estruturas, é permitido não levar em consideração as cargas de curto prazo especificadas no § 1.8 *.

1.12.Ao considerar combinações que incluem carga constante e não menos de duas cargas temporárias, os valores calculados das cargas temporárias ou suas forças correspondentes devem ser multiplicados pelos coeficientes de acoplamento iguais a:

nas combinações básicas para cargas longas y1 = 0,95;para curto prazo y2 = 0,9;

em combinações especiais para cargas longas y1 = 0,95;para curto prazo y2 = 0,8, exceto pelos casos estipulados nas normas de projeto para estruturas para regiões sísmicas e em outras normas para o projeto de estruturas e bases. Neste caso, uma carga especial deve ser tomada sem redução.

Ao levar em consideração as principais combinações que incluem cargas fixas e carga única( longo ou curto prazo), os coeficientes y1, y2 não devem ser inseridos.

Nota. Em combinações básicas, quando três ou mais cargas de curto prazo são levadas em consideração, seus valores calculados podem ser multiplicados pelo fator de acoplamento y2 tomado para o primeiro( pelo grau de influência) de carga de curto prazo - 1,0, para o segundo - 0,8, para o resto - 0,6.

1.13.Ao considerar as combinações de cargas de acordo com as instruções do parágrafo 1.12 para uma carga de tempo, você deve tomar:

a) carga de um determinado tipo de uma fonte( pressão ou sob pressão no tanque, neve, vento, cargas de gelo, temperatura, efeitos climáticos, carga de um único carregador,carro elétrico, ponte ou guindaste);B) a carga de várias fontes, se sua ação combinada for levada em consideração nos valores normativos e calculados da carga( a carga de equipamentos, pessoas e materiais armazenados para uma ou várias sobreposições, levando em consideração os coeficientes yA e yn dados nos parágrafos 3.8 e 3.9;vários guindastes de ponte ou suspensão, tendo em conta o coeficiente e dado na cláusula 4.17, carga de gelo e vento determinada de acordo com a cláusula 7.4).

SNiP 2.01.07-85 * - Cargas e impactos.

cargas regulamentos de construção

e impactos

SNIP 2.01.07-85 *

MOSCOU

2003

TSNIISK PROJETADO.Kucherenko Gosstroya URSS( Candidato de Ciências Técnicas AA Bat - o chefe do tema, IA Belyshev, Candidato de Ciências Técnicas VA Ottavnov, Doutor em Ciências Técnicas Prof. VD Reiser, A I.Tseitlin) MISI eles. V.V.Kuibyshev Ministério do Ensino Superior da URSS( candidato de ciências técnicas LV Klepikov).

INTRODUZOU TSNIISK-los. Kucherenko Gosstroy URSS.

PREPARADO PARA APROVAÇÃO por Glavtekhnormirovaniem Gosstroya URSS( Ph. D. FB Bobrov).

No SNiP 2.01.07-85 * número alterado 1, aprovado pela decisão da URSS Gosstroy de 08.07.88, n. ° 132, e também é adicionada a seção.10 "Desvios e Deslocamentos", desenvolvidos pela CNIISK... Kucherenko Comitê de Construção de Estado da URSS( Candidato de Ciências Técnico AA Bach - Chefe de tópicos; . membro correspondente da Academia de Ciências da URSS NN-malha, Doutor em Ciências Técnicas Prof. A. Zeitlin, candidato de ciências técnicas no. ...A. aposentado, eA Neustroev, Ing. Belyaev BI) NIIZhB URSS Comité estatal de Construção( Doutor em Engenharia, Ciências prof. Zalesov aS) e TsNIIpromzdany URSS Comitê de Construção do Estado( o tehn candidato. Ciências LLLemysh, EN Kodysh).

Com a introdução da seção.10 "Desvios e desvios" do SNiP 2.01.07-85 desde 1 de janeiro de 1989, perdem força.13.2-13.4 e 14.1-14.3 SNiP II-23-81 *.

exposta na nova edição: "A deflexão e deslocamento de elementos estruturais não devem exceder os limites estabelecidos 2.01.07-85 snip" os seguintes itens:

  • 13,1 SNP II-23-81 * «estruturas de aço"; .
  • cláusula 9.2 da SNiP 2.03.06-85 "Construções de alumínio";
  • cláusula 1.20 do SNiP 2.03.01-84 "Estruturas de betão e concreto armado";
  • p. 4.24 SNiP 2.03.09-85 "Estruturas de amianto cemento";
  • cláusula 4.32 do SNiP "Estruturas de madeira";
  • cláusula 3.19 do SNiP "Construção de empresas industriais".

Em SNIP 2.01.07-85 * alterada número 2, aprovado pelo Comitê da Rússia Construção Estado em 29 de maio de 2003 № 45. Itens

tabelas, fórmulas e mapas, em que as alterações são marcadas com um asterisco.

Comité Estatal da URSS em construção assuntos

( Gosstroy URSS)
regulamentos de construção SNIP 2.01.07-85 * Cargas
e efeitos Em vez disso, o chefe do SNIP II-6-74

Estas regras aplicam-se ao projeto de estruturas de construção e fundações de edifíciose instalações e estabelecer as principais disposições e regras para determinar e registrar as cargas e impactos permanentes e temporários, bem como suas combinações.

As cargas e os impactos nas estruturas de construção e nas fundações de edifícios e estruturas que diferem dos tradicionais podem ser determinados por condições técnicas especiais.

Notas: 1. Além disso, sempre que possível, o termo "impacto" é omitido e substituído pelo termo "carga", e as palavras "edifícios e estruturas" são substituídos pela palavra "estruturas".

2. Durante a reconstrução, os valores calculados das cargas devem ser determinados com base nos resultados da pesquisa de estruturas existentes, enquanto que as cargas atmosféricas podem ser aceitas levando em consideração os dados de Roshydromet.

3. CARGAS DE EQUIPAMENTO, PESSOAS, ANIMAIS, MATERIAIS STORED E

PRODUTOS 3.1.As normas desta seção se aplicam a cargas de pessoas, animais, equipamentos, produtos, materiais, partições temporárias, atuando nos pisos de edifícios e pisos em solos.

As opções para o carregamento de pisos com estas cargas devem ser tomadas de acordo com as condições para a montagem e operação de edifícios. Se, no estágio de projeto, os dados sobre essas condições forem insuficientes, ao calcular estruturas e motivos, as seguintes opções para carregar sobreposições individuais devem ser consideradas:

carregamento sólido pela carga aceita;

carga parcial desfavorável no cálculo de estruturas e bases sensíveis a tal esquema de carregamento;

sem carga de tempo.

Neste caso, a carga temporária total nos pisos de um edifício de vários andares com uma carga parcial desfavorável não deve exceder a carga com carregamento contínuo de pisos, determinada tendo em conta os coeficientes de combinações yn, cujos valores são calculados pelas fórmulas( 3) e( 4).

DETERMINAÇÃO DE CARGAS DE EQUIPAMENTO, MATERIAIS ALFABETIDOS E PRODUTOS

3.2.Os carregamentos de equipamentos( incluindo tubulações, veículos), materiais armazenados e produtos são instalados na tarefa de construção com base em soluções tecnológicas, nas quais deve ser dada:

a) possíveis locais e pisos na localização no solo e dimensões dos apoios de equipamentos,o tamanho dos locais de armazenagem e armazenagem de materiais e produtos, os locais onde o equipamento pode ser aproximado durante a operação ou re-planejamento;B) os valores normativos de cargas e fatores de confiabilidade de carga adotados de acordo com as disposições desses padrões, para máquinas com cargas dinâmicas - valores normativos de forças inerciais e fatores de confiabilidade de carga para forças de inércia, bem como outras características necessárias.

Ao substituir as cargas reais em sobreposições com cargas equivalentes uniformemente distribuídas, esta última deve ser determinada por cálculo e atribuída diferencialmente para vários elementos estruturais( lajes, vigas secundárias, barras transversais, colunas, fundações).Os valores aceitos de cargas equivalentes devem garantir a capacidade de carga e a rigidez dos elementos estruturais exigidos pelas condições de carregamento com cargas reais. Os valores normativos completos de cargas equivalentes uniformemente distribuídas para instalações de produção e armazenamento devem ser tomados para placas e feixes secundários de pelo menos 3.0 kPa( 300 kgf / m2), para barras transversais, colunas e fundações - não inferior a 2,0 kPa( 200 kgf / m2)).

A conta do aumento de perspectiva das cargas do equipamento e dos materiais armazenados é suposto no estudo de viabilidade.

3.3.O valor normativo do peso do equipamento, incluindo as tubulações, deve ser determinado com base em padrões ou catálogos, e para equipamentos não padronizados - com base nos dados do passaporte das fábricas ou desenhos de trabalho.

A carga do peso do equipamento deve incluir o peso da instalação ou da máquina( incluindo o acionamento, fixações permanentes, dispositivos de suporte, molhos e sub-esferas), o peso do isolamento, os materiais de enchimento, possível operação, a peça mais pesada, o peso da carga transportada,correspondente à capacidade de carga nominal e semelhante.

As cargas do equipamento para os pisos e pisos no chão devem ser tomadas de acordo com as condições de sua localização e possíveis movimentos durante a operação. Ao mesmo tempo, devem ser previstas medidas que excluam a necessidade de fortalecer as estruturas de carga associadas ao movimento dos equipamentos de processo durante a instalação ou operação do edifício.

O número de carregadores ou carros elétricos simultaneamente considerados e a colocação no chão durante o cálculo de vários elementos deve ser realizada de acordo com a tarefa de construção baseada em soluções tecnológicas.

O impacto dinâmico de cargas verticais de carregadores e carros elétricos pode ser levado em consideração multiplicando os valores normativos das cargas estáticas por um fator de dinamismo igual a 1,2.

3.4.O fator de confiabilidade de carga gt para o peso do equipamento é mostrado na Tabela.2.

Tabela 2

proporção em peso
carga fiabilidade gt
equipamento estacionária 1,05
Isolamento equipamento estacionária 1,2 equipamento
marcador de posição( incluindo tanques e tubulações):
líquidos 1,0 suspensões
, suspensões, corpos granel 11
Loader e veículos eléctricos( carregados) 1,2

uniformemente distribuída carga

3,5.Os valores normativos de cargas temporárias uniformemente distribuídas em lajes, escadas e pisos em solos são apresentados na Tabela.3.

3.6.Os valores normativos das cargas nas barras transversais e placas do peso das partições temporárias devem ser tomados de acordo com seu design, localização e a natureza do suporte nos pisos e paredes. A referida carga é autorizado a ter em conta como uma carga uniformemente distribuída suplementar, tendo os seus valores standard com base no cálculo para as partições esquemas de colocação pretendida, mas não menos do que 0,5 kPa( 50 kgf / m2).

3.7.O fator de carga gf para cargas uniformemente distribuídas deve ser tomado:

1.3 - com um valor padrão total inferior a 2,0 kPa( 200 kgf / m2);

1,2 - no valor normativo total de 2,0 kPa( 200 kgf / m2) e muito mais.

O fator de capacidade de carga do peso de barreiras temporárias deve ser tomado de acordo com as instruções em 2.2.

3.8.Ao calcular vigas, vigas, lajes, colunas, e bases que recebem a carga de uma laje, cargas completas valores normais especificadas na Tabela .3 , deve ser reduzido dependendo da área de carga A, m2, o elemento calculado, multiplicando pelo fator de acoplamento yA, igual a.

a) para as instalações indicadas na pos.1, 2, 12, a( para A & gt; A1 = 9 m2),

( 1)

b) para as instalações indicadas na pos.4, 11, 12, b( para A & gt; A2 = 36 m2),

( 2)

Nota. Ao calcular paredes que absorvem cargas de uma sobreposição, os valores das cargas devem ser reduzidos e a dependência da área de carga A dos elementos calculados( lajes, vigas) que se apoiam nas paredes.

3.9.Ao determinar as forças longitudinais para o cálculo de colunas, paredes e fundações que recebem cargas de duas sobreposições ou mais, os valores normativos completos das cargas especificadas na tabela .3 , deve ser reduzido multiplicando pelo fator de combinação yn:

a) para os espaços indicados na pos. B) para as instalações indicadas nas pos. 1, 2, 12, a,

( 3)

;4, 11, 12, b,

( 4)

onde - são determinados de acordo com a cláusula 3.8;

n - o número total de sobreposição( .. Para Melhoria listados na Tabela 3 , Pos 1, 2, 4, 11, 12, a, b), a partir da qual a carga incluídos na secção de cálculo da coluna sob consideração, as paredes de fundação.

Nota. Ao determinar os momentos de flexão em colunas e paredes, é necessário levar em conta a redução de cargas para vigas adjacentes e barras transversais de acordo com as instruções do parágrafo 3.8.

CARREGAS FOCALIZADAS E CARGAS PARA O DESEMPENHO

3.10.Os elementos de suporte se sobrepõem, revestimentos para varandas e escadas( loggia) deve ser verificado para a carga vertical concentrada aplicada ao elemento, desfavorecida na área quadrado com lados de 10 cm( na ausência de outras cargas temporárias).Se o trabalho de construção com base em tecnologia não prevê valores característicos mais elevadas cargas concentradas, eles devem ser iguais: uma

) e para lajes lestnits- 1,5 kN( 150 kgf);

b) para sótãos, revestimentos, terraços e varandas - 1,0 kN( 100 kgf);

c) para revestimentos, para os quais é possível mover-se apenas com passarelas e pontes, - 0,5 kN( 50 kgf).

Elementos projetados para possíveis cargas locais de construção e operação de equipamentos e veículos durante a construção e operação podem não ser verificados quanto à carga concentrada especificada.

e edifícios valores característicos r cargas kPa( kgf / m2)
completas reduzida
1. apartamentos edifícios residenciais;salas de dormir de instituições pré-escolares e internatos;Alojamento de casas de férias e pensões, albergues e hotéis;salas de hospitais e sanatórios;terraços 1,5( 150) 0,3( 30)
2. Locais de escritório de pessoal administrativo, de engenharia e científico de organizações e instituições;salas de aula de instituições educacionais;salas de utilidade( vestiários, chuveiros, banheiros, sanitários), industrial e edifícios públicos 2,0( 200) 0,7( 70)
3. As salas de aula e laboratórios de saúde, instalações de laboratório de educação, ciência;instalações de computadores eletrônicos;cozinhas de edifícios públicos;pavimentos técnicos;porões não menos do que 2.0( 200) não menos do que 1.0( 100)
4. Instalações:
a) leitura 2,0( 200) 0,7 ( 70)
b) almoço( no café, restaurantes, cantinas) 3,0( 300) 1,0 ( 100)
c) reuniões e congressos, de espera, visual e concerto, que ostentam 4,0( 400) 1,4 ( 140)
g)comércio, exposição e exposição Não inferior a 4,0( 400) Não inferior a 1,4( 140)
5. Armazenamento de livros;Arquivos não inferior a 5,0( 500) não inferior a 5,0( 500)
6. Cenas entretenimento não inferior a 5,0( 500) não inferior a 1,8( 180)
7. Stands:
e) com assentos fixos 4,0( 400) 1,4 ( 140)
b) para os espectadores que estão 5,0( 500) 1,8( 180) 0,7
8. espaço sótão( 70) -
9. revestimentos secções:
a), com a possível acumulação de pessoas( que sai da produção instalações, salões, auditórios, etc.) 4,0( 400) 1,4 ( 140)
b) utilizado paraDescanso 1,5( 150) 0,5( 50)
c) outro 0,5(50) -
10. varandas( loge) com a carga:
um) tira de largura uniforme na área de 0,8 m ao longo das cercas varanda( loge) 4,0( 400) 1,4 ( 140) b
) uniforme contínuo na área da varanda( loggia), cujo efeito é mais desfavorável do que o determinado por pos.10 e 2,0( 200) 0,7 ( 70)
11. manutenção do terreno e equipamento de reparação, em instalações industriais não inferior a 1,5( 150) -
12. halls de entrada, entradas, corredores, escadas( com as suas passagens associadas) adjacente para as instalações referidas em posições:
a) 1, 2 e 3 3,0( 300) 1,0 ( 100)
b) 4, 5, 6 e 11 4 0( 400) 1,4( 140)
c) 7 5,0( 500) 1,8 ( 180)
13. estações avental 4,0( 400) 1,4( 140) 14
. Possibilidade de gado:
pequena não menos do que 2.0( 200) não menos do que 0,7( 70)
de grande Não inferior a 5,0( 500) Não inferior a 1,8( 180)

3.11.Os valores característicos das cargas horizontais na escada trilho trilhos e varandas deve ser igual:

a) para edifícios residenciais, creches, casas de repouso, centros de saúde, hospitais e outras instituições médicas - 0,3 kN / m( 30 kg / m);

b) e meios eventos desportivos - 1,5 kN / m( 150 kgf / m);

c) para outros locais e as construções sem requisitos especiais - 0,8 kN / m( 80 kgf / m).

Tabela 3 Notas: 1. As forças especificadas na chave.8, deve ser considerado em uma área não ocupada por equipamentos e materiais.

2. As forças indicadas no item.9, deve ser considerada sem carga de neve.

3. Cargas em pos.10 deve ser considerada quando se calcula a construção de chumaceira de varandas( loggia) e partes das paredes em locais beliscar estas construções. Ao calcular as porções inferiores das paredes, bases e bases de carga em varandas( loge) deve ser cargas iguais adjacentes instalações de construção básicos e reduzi-los de acordo com as instruções nn.3,8 e 3,9.

4. Os valores característicos de cargas para edifícios e instalações referidas no item.3, 4, 5 g, 6, 11 e 14, deve ser no trabalho de construção com base em soluções tecnológicas. Para plataformas de serviços

, pontes, telhados cercas, destinados a pessoas com curta duração, o valor padrão de carga concentrada horizontal no trilho trilhos deve ser 0,3 kN( 30 kgf)( em qualquer lugar ao longo do comprimento do corrimão), se no trabalho de construção com base tecnológicadecisões não requerem valor de carga de grande porte. Para

carregamento especificado nas reivindicações.3,10 e 3,11, que deve ser fiável factor de carga gf = 1,2.

4. CARGAS DA PONTE E AS GRUAS

SUSPENDIDAS 4.1.As cargas dos guindastes de ponte e suspensão devem ser determinadas dependendo dos grupos de seus modos de operação, estabelecidos pelo GOST 25546-82, no tipo de unidade e no método de suspensão da carga. Uma lista aproximada de guindastes de ponte e suspensão de diferentes grupos de modos de operação é fornecida na aplicação de referência 1.

4.2.valores padrão completos de cargas verticais transmitidas pelas rodas sobre o guindaste pista guindaste viga e outros dados necessários para o cálculo deve ser tomada de acordo com os requisitos das normas estaduais para gruas, e para as gruas não-padrão - de acordo com os dados especificados nas fichas de dados dos fabricantes.

Nota. Por grua significa que as vigas que transportam um único guindaste e todas as vigas que transportam um guindaste( duas vigas - em uma única travessia, três - com uma grua de duas posições, etc.).

4.3.O valor normativo da carga horizontal direcionada ao longo da trilha do guindaste e causado pela travagem da ponte do guindaste elétrico deve ser tomado igual a 0,1 do valor padrão total da carga vertical nas rodas de freio do lado da grua em questão.

4.4.O valor característico de cargas horizontais dirigida transversalmente em relação à pista de grua e o carro eléctrico chamado travagem, devem ser tomados como:

para guindastes com carga suspensão flexível - quantidade elevador 0,05 guindaste e o peso do carrinho;

para gruas com suspensão rígida - 0,1 da soma da força de elevação da grua e do peso do carrinho.

Esta carga deve ser levada em consideração ao calcular os quadros transversais de edifícios e feixes de trilhos de guindaste. Assume-se que a carga é transferida para um lado( feixe) da trilha do guindaste, distribuída igualmente entre todas as rodas do guindaste suportadas e pode ser direcionada tanto dentro como fora da extensão considerada.

4.5.O valor característico de cargas horizontais dirigido transversal do trilho do pórtico e distorcendo guindaste de ponte eléctrica e trilhos de pórtico não paralelos( força lateral) para cada roda guindaste estrada deve estar completa em 0,1 valor padrão da carga vertical sobre uma roda.

Esta carga só deve ser levada em consideração ao calcular a resistência e estabilidade dos feixes de trilhos do guindaste e suas fixações para colunas em edifícios com gruas de modos de operação grupos 7K, 8K.Assume-se que a carga é transferida para a trilha do guindaste de todas as rodas de um lado do guindaste e pode ser direcionada para dentro e para fora do espaço considerado do prédio. A carga especificada na cláusula 4.4 não deve ser considerada em conjunto com a força lateral.

4.6.As cargas horizontais da travagem da ponte e dos caminhões de grua e das forças laterais são consideradas aplicadas no ponto de contato das rodas do guindaste com o trilho.

4.7.O valor padrão da carga horizontal dirigida ao longo da pista de grua e o guindaste causada por impacto com o tampão de pára, serão determinadas de acordo com as instruções dadas no apêndice obrigatório 2. Esta carga deve ser tomado em consideração apenas no cálculo das paragens e à sua fixação às vigas do guindaste de pista.

4.8.O fator de confiabilidade de carga para as cargas do guindaste deve ser tomado como gf = 1,1.

Nota. Quando se tem em conta o local e o efeito dinâmico da carga vertical concentrada de rodas de um guindaste valor padrão completo desta carga a ser multiplicado no cálculo da força de faixas vigas do guindaste por um gf factor adicional, igual a:

1,6 - grupo 8K modo com uma superfície rígida guindastes cabide de carga;

1,4 - para operação em grupo de gruas 8K com suspensão flexível de carga;

1,3 - para o modo de operação das gruas 7K;

1.1 - para outros grupos de modos de operação do guindaste.

Ao verificar a estabilidade local das paredes do feixe, o valor do coeficiente adicional deve ser tomado igual a 1,1.

4.9.Ao calcular a resistência e a estabilidade do percurso do feixe de guindaste e a sua ligação às estruturas de suporte das cargas guindaste verticais calculados deve ser multiplicado pelo coeficiente dinâmico igual a:

colunas no passo não mais do que 12 m:

1,2 - grupo 8K modo ponte guindaste;

1.1 - para grupos de modos de operação de guindastes de ponte 6K e 7K, bem como para todos os grupos de modos de operação de guindastes;

com um passo de coluna de mais de 12 m - 1,1 para o grupo de modo de operação de ropões 8K.

Os valores calculados das cargas horizontais das guindastes de ponte do grupo de modo de operação 8K devem ser levados em consideração com um fator dinâmico de 1.1.

Em outros casos, o fator dinâmico é assumido como sendo 1,0.

Ao calcular as construções para resistência, verificando as deflexões de feixes de trilhos de grua e deslocamentos de coluna, e também levando em consideração o efeito local da carga vertical concentrada de uma roda do guindaste, o fator dinâmico não deve ser levado em consideração.

4.10.As cargas verticais no cálculo da resistência e estabilidade dos feixes de trilhos da grua devem ser levadas em consideração não mais do que duas das mais desfavoráveis ​​em pontes de impacto ou guindastes suspensos.

4.11.As cargas verticais no cálculo da resistência e estabilidade de quadros, colunas, fundações, bem como bases em prédios com guindastes de ponte em várias travessas( em cada extensão de um nível) devem ser tomadas em cada caminho a partir de duas das mais desfavoráveis ​​para guindastes de impacto etendo em conta a combinação em uma seção das gruas de diferentes praças - não mais do que quatro das mais desfavoráveis ​​para guindastes de impacto.

4.12.As cargas verticais no cálculo da resistência e estabilidade dos quadros, colunas, trusses e trusses, fundações, bem como as bases de edifícios com guindastes suspensos em um ou vários caminhos, devem ser tomadas em cada caminho a partir de duas das mais desfavoráveis ​​para guindastes de impacto. Ao levar em conta a combinação de guindastes de suspensão que funcionam de diferentes maneiras no mesmo local, devem ser tomadas cargas verticais:

de mais de dois guindastes - para colunas, subestruturas, fundações e bases da fileira extrema com duas trilhas de guindaste no vão;

não mais do que quatro guindastes

para colunas, subtrusses, fundações e bases de linha média;

para colunas, sub-trusses, fundações e bases da linha extrema com três trilhos de guindaste na travessia;

para vigas com duas ou três trilhas de guindaste na travessia.

4.13.As cargas horizontais no cálculo da resistência e estabilidade de vigas de trilhos, colunas, armações, vigas e subestruturas, fundações e fundações de grua devem ser levadas em consideração não mais do que duas das mais desfavoráveis ​​para guindastes de impacto localizados na mesma faixa de grua ou em trilhas diferentes em um alinhamento. Para cada guindaste, apenas uma carga horizontal( transversal ou longitudinal) deve ser levada em consideração.

4.14.O número de guindastes considerado no cálculo da resistência e estabilidade na determinação de cargas verticais e horizontais de guindastes de ponte em duas ou três camadas na travessa, ao mesmo tempo que coloca a travessia das gruas de suspensão e ponte, bem como a operação de guindastes suspensos destinados à transferência de cargaDe uma torneira para outra com a ajuda de flip-flops, deve ser tomada de acordo com a tarefa de construção com base em soluções tecnológicas.

4.15.Ao determinar as deflexões verticais e horizontais dos feixes de trilhos do guindaste, bem como os deslocamentos horizontais das colunas, a carga deve ser levada em conta de um dos mais desfavoráveis ​​ao impacto do guindaste.

4.16.Se houver um guindaste na trilha do guindaste e desde que o segundo guindaste não esteja instalado durante a operação da instalação, as cargas neste caminho devem ser levadas em conta a partir de apenas um guindaste.

4.17.Quando dois guindastes são levados em consideração, a carga deles deve ser multiplicada pelo fator de combinação:

y = 0,85 para grupos de modos de operação do guindaste 1K-6K;

y = 0,95 - para grupos de modos de operação de gruas 7K, 8K.

Se forem consideradas quatro guindastes, as cargas a partir delas devem ser multiplicadas pelo fator de combinação:

y = 0,7 - para grupos de modos de operação de gruas 1C - 6C;

y = 0,8 - para grupos de modos de operação de gruas 7K, 8K.

Quando um guindaste é levado em consideração, cargas verticais e horizontais devem ser tomadas sem redução.

4.18.Ao calcular a resistência de feixes de trilhos de grua para guindastes de pontes elétricos e fixações dessas vigas a estruturas de suporte de carga, é necessário levar em consideração os valores padrão mais baixos de cargas de acordo com 1.7.Para verificar a resistência das paredes dos feixes na zona de ação da carga vertical concentrada de uma roda do guindaste, os valores normativos mais baixos da força vertical da roda devem ser multiplicados pelo fator considerado no cálculo da resistência das vigas de trilhos da grua de acordo com a nota do § 4.8.Os grupos de modos de operação das gruas, no qual o cálculo da resistência deve ser feita, são estabelecidos pelos padrões de projeto.

5. CARREGAMENTO DE NEVE

5.1 *.valor de projecto completo de carga da neve sobre a projecção horizontal do revestimento deve ser determinada pela fórmula

( 5)

em que Sg - estimativa do valor do peso da cobertura de neve em 1 m2 da superfície horizontal da Terra, a ser feita de acordo com o ponto 5.2; .

m - coeficiente de transição do peso da cobertura de neve do solo para a carga de neve no revestimento, adotado de acordo com o par.5.3 - 5.6.

( edição alterada, alteração nº 2).

5.2 *.Calculado valor Sg peso da cobertura de neve em 1 m2 da superfície horizontal da terra para ser feita dependendo da área de neve Federação Russa de acordo com a Tabela.4. Tabela 4 *

áreas

neve da Federação Russa( Mapa 1 tomado aplicação obrigatória 5 ) eu II III IV V VI VII VIII
Sg, kPa( kgf / m2) 0 8
( 80)
1,2( 120) 1,8 ( 180) 2,4( 240) 3,2 ( 320) 4,0( 400) 4,8 ( 480) 5 6( 560)

Nota. Nas áreas montanhosas e pouco estudadas marcado no mapa um anexo obrigatório 5, parágrafos com a altitude de 1500 m, em áreas com terrenos difíceis, assim como diferenças significativas de dados locais de dadas na Tabela 4 * valores de peso estimadas da cobertura de neve deve serpara estabelecer com base nos dados Roshydromet. Ao mesmo tempo que o valor estimado de Sg a tomar ultrapasse uma média de uma vez a cada 25 anos, o peso máximo anual de cobertura de neve, definida com base nestes inquéritos de neve sobre o abastecimento de água para protegido da exposição directa aos locais de vento( na floresta sob as árvores ou em clareiras florestais)por um período não inferior a 20 anos.

( edição alterada, alteração nº 2).

5.3.Os esquemas de distribuição de carga de neve e o valor do coeficiente m devem ser tomados de acordo com a aplicação obrigatória 3, com valores intermediários do coeficiente m a serem determinados por interpolação linear.

Em casos onde as condições mais desfavoráveis ​​de elementos estruturais ocorrem no carregamento parcial deve ser considerado com o circuito de carga da neve operando a metade ou um quarto da extensão( para revestimentos com lanternas - em áreas de largura b).

Nota. Se necessário, as cargas de neve devem ser determinadas tendo em conta a futura expansão prevista do edifício.

5.4.As variantes com maior carga de neve locais apresentados no anexo 3, necessariamente, deve ser considerada quando se calcula a placas, convés e de revestimento é executado, bem como o cálculo de elementos de rolamento de estruturas( armações, vigas, colunas e semelhantes), que definem as referidas variantestamanho das seções.

Nota. Nos cálculos de construções permitida a utilização de esquemas simplificados de neve cargas equivalentes em esquemas de cargas de impacto enumerados no anexo 3 obrigatório. No cálculo de quadros e colunas edifícios industriais autorizados a ser reconhecido carga de neve única uniformemente distribuída, exceto revestimentos surtos locais onde é necessário ter em conta o aumento da carga de neve.

5.5 *.Os coeficientes m, estabelecidas de acordo com as instruções dos Esquemas 1, 2, 5 e 6 obrigatória 3 aplicação para raso( com desvios-se a 12% ou £ 0,05) revestimentos e-span único edifícios multispan sem luzes, concebidos para áreas com uma velocidade médiaO vento para os três meses mais frios v ³ 2 m / s, deve ser reduzido pela multiplicação por um fator onde k - é retirado da Tabela.6;b - a largura da cobertura, feita não mais do que 100 m

Para revestimentos com pistas de 12 a 20% de vãos única e multi-alcance edifícios sem luzes, concebidos para áreas com v ³ 4 m / s, o factor M definido em conformidade com os esquemas de instruções 1 e.5 do pedido obrigatório 3 , deve ser multiplicado por um fator de 0,85.média

velocidade do vento v nos três meses mais frios deve ser obrigatória no mapa 2 Anexo 5 .

A redução da carga de neve prevista nesta cláusula não se aplica:

a) para coberturas de construção em áreas com uma temperatura mensal média do ar em janeiro superior a menos 5 ° C( veja o mapa 5 do obrigatório Anexo 5 );

b) em edifícios cobertos de exposição direta ao vento por edifícios superiores vizinhos, removidos em menos de 10 h1, onde h1 é a diferença entre as alturas dos edifícios vizinhos e projetados;

c) em secções de revestimentos com comprimentos b, b1 e b2, para diferenças de altura de edifícios e parapeitos( ver diagramas 8 a 11 do obrigatório Anexo 3 do ).

5.6.Coeficientes na determinação de cargas de neve para revestimentos não aquecidos de lojas com aumento da liberação de calor com inclinação do telhado superior a 3% e garantir uma drenagem adequada da água de derretimento deve ser reduzida em 20%, independentemente da redução prevista em 5.5.

5,7 *.O valor normativo da carga de neve é ​​determinado pela multiplicação do valor calculado por um fator de 0,7.

( edição alterada, alteração nº 2).

6. Vento

carga 6.1.a carga do vento sobre a estrutura deve ser considerada como um agregado:

a) press normal que, aplicada à superfície exterior da estrutura ou elemento;

b) wf forças de fricção dirigida tangencialmente para a superfície exterior e que se refere à área da sua horizontal( por ondulado Shed ou revestimentos, com lanternas) ou projecções verticais( parede com varandas ou estruturas semelhantes);

um) wi pressão normal aplicada às superfícies interiores de edifícios com barreiras permeáveis, com a abertura ou aberturas são constantemente aberto;

como qualquer wx pressão normal, WY, devido à estrutura de impedância comum na direcção dos eixos X e Y e convencionalmente aplicada às construções da projecção num plano perpendicular ao respectivo eixo.

Ao conceber estruturas altas, as dimensões relativas do que satisfazem h / d & gt condição;10, verificando cálculo necessário para produzir adicionalmente excitação vórtice( ressonância vento);aqui H - altura de construção, d - a dimensão mínima em secção transversal, localizada no 2 / 3h.

6.2.Carga de vento devem ser determinados como a soma dos componentes médias e flutuantes. Wi

Na determinação da pressão interna, e o cálculo de edifícios de grande altura de até 40 m e uma térreas edifícios industriais de até 36 m, a uma razão de altura para abrangem menos do que 1,5, colocados em áreas de tipos A e B( ver. F. 6,5)componente flutuante de carga de vento pode ser ignorado.

6,3.O valor padrão do componente significativo da carga do vento no wm um z altura acima da superfície a ser determinado pela fórmula

( 6) em que w0

- valor da característica de pressão do vento( ver 6.4. .);

k - coeficiente que reflecte a alteração na altura de pressão do vento( ver secção 6.5. .);

com - coeficiente de aerodinâmica( ver secção 6.6. .).

6,4.O valor da característica de pressão do vento W0 ser feita dependendo da região de vento de acordo com a Tabela URSS.5.

Para montanha e áreas pouco estudadas marcado no mapa 3, o valor padrão de w0 pressão do vento pode ser especificada com base nos dados de estações meteorológicas Comitê Estadual, bem como os resultados das áreas de pesquisa de construção, tendo em conta a experiência de instalações operacionais. Neste pressão valor w0 vento padrão Pa a ser determinado pela fórmula

( 7)

onde v0 - é numericamente igual à velocidade do vento em m / s, a 10 m acima do solo para o tipo de área A, que corresponde a uma média de intervalo de 10 minutos eultrapasse uma média de uma vez a cada 5 anos( se as condições técnicas, devidamente aprovados, não são regulados por outros períodos de repetibilidade velocidade do vento).

6,5.O coeficiente k, o que leva em conta as alterações da pressão do vento em altura z, é determinada pela tabela.6, dependendo do tipo de terreno.tipos aceitos de terreno:

A - costas para o mar aberto, lagos e reservatórios, deserto, estepe, estepe, tundra;Em

- áreas urbanas, florestas e outras áreas cobertas uniformemente com barreiras altura de 10 m;

C - áreas urbanas com a altura da construção do edifício mais do que 25 m

Tabela 5 áreas

vento URSS( aceite no mapa 3 aplicação obrigatória 5 ) Ia eu II III IV V VI VII
w0,. kPa( kgf / m2) 0,17( 17) 0,23 ( 23) 0,30( 30) 0,38( 38) 0,48 ( 48) 0,60( 60) 0 , 73( 73) 0,85( 85) de construção

é considerado localizado na área deste tipo, se esta área é armazenada nas estruturas lado de barlavento do 30h região - na altura de estruturas h a 60 m e 2 km -Quando uma altitude mais elevada. Tabela 6

altura z, m coeficiente k para os tipos de terrenos
Um Em C
£ 5 0,75 0,5 0,4 1,0
10 0,65 0,4 1,25 0
20 85 0,55
40 1,5 1,1 0,8
60 1,7 1,3 1,0
80 1,85 1,45 1,15 2,0 1,6
100
150 1,25 2,25 1,9
200 1,55 2,45 2,1
250 1,8 2,65 2,3
300 2,0 2,75 2,5 dois2
350 2,75 2,75 2,35
³ 480 2,75 2,75 2,75

Nota. Ao determinar a carga do vento, os tipos de terreno podem ser diferentes para diferentes direções do vento calculadas.

6.6.Na determinação da componente de carga de vento que, WF, WI, WX, WY usar valores apropriados de coeficientes aerodinâmicos Ce pressão externa, cf atrito, a pressão interna do CX ci e arrastar ou CY tomado em anexo obrigatória 4, onde as setas indicam a direcção do vento."Plus" sinal da ce ou pressão coeficientes ci corresponde à direção do vento sobre o sinal apropriado de superfície "de menos" - a partir da superfície. Os valores da carga intermediária devem ser determinados por interpolação linear. Ao calcular

monta elementos esgrima para as estruturas de suporte da construção dos cantos e ao longo do contorno exterior do revestimento deve ter em conta a pressão de vento negativas local com o coeficiente de ce aerodinâmico = 2, distribuídas ao longo das superfícies com a largura de 1,5 m( Fig. 1).

Em casos não fornecida ligação obrigatória 4( outras formas de construção, com adequada contabilidade justificação outras direcções do fluxo de vento ou de componentes totais de resistência corpo em outros sentidos, e semelhantes), os coeficientes aerodinâmicos pode ser feita em referência e os dados experimentais ou com base dePurga modelos de estruturas em túneis de vento.

Nota. Para determinar a carga do vento sobre a superfície interna das paredes e partições na ausência do invólucro exterior( na instalação do edifício passo), usar os coeficientes aerodinâmicos de pressão externa ou cabeça-ce resistência ci.

Damn.1. Áreas com aumento da pressão negativa do vento

6.7.O valor padrão do componente flutuante de wp carga de vento em altura z deve ser determinado:.

a) estruturas( e os seus elementos estruturais) em que o primeiro f1 frequência natural, Hz, maior do que o valor limite da frequência f natural,( ver secção 6.8),.-

fórmula( 8), onde

ui - determinada de acordo com o parágrafo 6.3; .

z - coeficiente de pulsação da pressão do vento no nível z, retirado da Tabela.7;

v - coeficiente de correlação espacial das pulsações de pressão do vento( ver 6.9);

Tabela 7

altura z, m pressão do vento coeficiente de pulsação z para tipos de terreno
Um Em C
£ 5 0,85 1,22 1,78
10 0,76 1,06 1,78 0
20 69 0,92 1,50 0,62
40 0,80 1,26 0,58
60 0,74 1,14 0,56
80 0,70 1,06 0,54
100
150 0,67 1,00 0,51 0,62 0,90 0,49
200 0,58 0,84 0,47
250 0,56 0,80 0,46 0
300
350 54 0,76 0,46 0,52 0,73
³ 480 0,46 0,50 0,68

Fig.2. Os coeficientes de

dinâmico 1 - para estruturas de betão e pedra, e edifícios, com uma estrutura de aço na construção de muros presença( d = 0,3);2 - para torres de aço, mastros, chaminés alinhado, um aparelho do tipo de coluna, incluindo pedestais de betão( d = 0,15)

B) para as estruturas( e os seus elementos estruturais), o que pode ser considerado como um sistema com um grau de liberdade(armação transversal storeyed edifícios industriais, torres de água, etc.) a

f1( 9)

onde x - coeficiente dinâmico definido pela Fig.2 como função do parâmetro e do decremento logarítmico d( ver 6.8);

gf - fator de confiabilidade de carga( ver item 6.11);

w0 é o valor padrão da pressão do vento, Pa( ver 6.4);

c) para edifícios, simétrico em plano, em que

f1( 10)

onde m - massa das estruturas em Z, dividida pela área da superfície a que a carga do vento aplicada;

x - coeficiente de dinamismo( ver 6.7, b);

y - o deslocamento horizontal das estruturas no nível z para a primeira forma de vibrações naturais( de construção simétrica em termos de altura constante, como pode ser feita a partir do movimento das uniformemente distribuída horizontalmente aplicada carga estática);

y - coeficiente determinado dividindo-se estruturas em secções de r, no qual a carga de vento assumido ser constante,

fórmula( 11) onde

Mk - massa no local da construção k-th;

yk - movimento horizontal do centro da seção k-ésima;

WPK - componente flutuante resultante da carga de vento, determinada pela fórmula( 8), na porção de k-th da estrutura.

No caso de edifícios de vários andares com rigidez altura constante, a massa e a largura da superfície de barlavento do valor padrão do componente flutuante da carga de vento em Z pode ser determinada de acordo com a fórmula

( 12)

em que WPH - valor padrão do componente flutuante da carga de vento a uma estrutura de topo altura h, definido pelafórmula( 8).

6.8.O valor limite da frequência natural fl, Hz, em que é permitida não considerar as forças de inércia gerada durante a vibração da própria forma correspondente, deve ser determinado a partir da tabela.8.

Tabela 8

áreas vento
URSS( recebido no mapa 3 aplicação obrigatória 5 ) fl, Hz
d = 0,3 d = 0,15
Ia 0,85 2,6
eu 0,95 dois9
II 1,1 3,4 1,2
III
IV 3,8 1,4 4,3
V 1,6 5,0 1,7
VI 56
VII 1,9 5,9

valor decremento logarítmico d deve ser tomada:

uma) para as estruturas de betão e pedra, e para edifícios com uma estrutura de aço, na presença Walling d = 0,3;

b) para torres de aço, mastros, chaminés alinhado, um aparelho do tipo de coluna, incluindo plintos de betão, d = 0,15.

6,9.O coeficiente de correlação espacial das pulsações da pressão v deve ser definido para as instalações à superfície de design, que levam em conta a correlação de pulsações.superfície

Calculado inclui aquelas porções da superfície das barlavento, sotavento, paredes laterais, tectos e estruturas semelhantes, com uma pressão do vento, que é transmitido para as estruturas de elementos calculados. Se a superfície

calculado está próximo de um rectângulo, orientado de modo a que os seus lados são paralelos aos eixos principais( Fig. 3), em seguida, v proporção deve ser determinado a partir da tabela.9 Dependendo dos parâmetros r e c da Tabela recebido.10.

Droga.3 sistema de coordenadas base na determinação do coeficiente de correlação v

Tabela 9

r, v m coeficiente em c, m, igual
5 10 20 40 80 160 350
0,1 0,95 0,92 0,88 0,83 0,76
5 0,67 0,56 0,89 0,87 0,84 0,80 0,73 0,65 0,54
10 0,85 0,84 0,81 0 77 0,71 0,64 0,53
20 0,80 0,78 0,76 0,73 0,68 0,61
40 0,51 0,72 0,72 0,70 0,67 0,63 0,57 0,48 0,63
80 0,63 0,61 0,59 0,56 0,51 0,44 0
160 53 0,53 0,52 0,50 0,47 0,44 0,38

Tabela 10

principal plano de coordenadas, que é paralelo ao estimado superfície r c
zoy b h
zox 0.4A h
XOY b e

Ao calcular as dimensões de estruturas de superfície calculado geral deve ser determinada tendo em conta a indicação de aplicação obrigatória4, neste caso por uma malha estruturas devem ter o tamanho da superfície do desenho sobre o seu contorno exterior.

6.10.Para estruturas para as quais f2

6.11.O fator de carga de vento gt deve ser considerado como 1.4.

7. gelo carga

7.1.carga gelo devem ser consideradas aquando da concepção de linhas eléctricas aéreas e de comunicação, transporte catenária electrificado, mastros de antena e estruturas semelhantes.

7,2.O valor padrão para os elementos de carga gelo lineares de diâmetro circular secção transversal e 70 mm, inclusive.(fios, cabos, caras, mastros, mortalhas, etc. .) I, n / m deve ser determinado pela fórmula

( 13)

valor característico da carga gelo superfície i ¢, Pa para os outros elementos deve ser determinada pela fórmula

( 14)

nas fórmulas( 13) e( 14):

b - espessura da parede de milímetro esmalte( excede a cada 5 anos) para elementos de secção circular de 10 mm de diâmetro, localizadas a uma altura de 10 m acima do solo, levam a Tabela.11, e a uma altitude de 200 metros ou mais - de acordo com a Tabela.12. Para os outros períodos de espessura de parede recorrência gelo deve estar em especificações especiais, devidamente aprovado;

k - coeficiente que reflecte a alteração na espessura da parede do gelo e ajustamento sobre uma mesa recebido.13;

d - diâmetro do arame, cabo de arame, mm;

m1 - coeficiente que reflecte a alteração na espessura da parede do esmalte, dependendo do diâmetro da secção transversal circular e os elementos definidos pela Tabela.14;

m2 - coeficiente que reflecte a razão entre a superfície do elemento, sujeitos a congelação para a área de superfície total do elemento e tomado igual a 0,6 área;

r - densidade gelo, presume ser igual a 0,9 g / cm3;

g - aceleração devido à gravidade em m / s2.

7.3.fator de segurança para gf carga para carga de gelo deve ser tomado como 1,3, salvo o disposto em outros regulamentos.

7,4.pressão do vento sobre os elementos de formação de gelo revestidos deve ser igual a 25% dos valores normativos W0 pressão do vento determinada de acordo com o n. 6.4.

Notas: 1. Em certas regiões da URSS, onde há uma combinação de velocidades de vento significativas com grandes dimensões e congelando depósitos rime, espessura da parede do esmalte e densidade, e a pressão do vento deve ser consistente com os dados reais.

2. Ao determinar as cargas de vento sobre os elementos de estruturas localizadas no mais do que 100 metros acima do solo, fios e cabos diâmetro geladas instalado com a espessura da parede de esmalte mostrado na Tabela.12, a ser multiplicado por um factor de 1,5.Tabela

áreas do vidrado 11

URSS( aceite para mapear 4 aplicação obrigatória 5 ) espessura da parede eu II III IV V
de esmalte b, mm menos 3 5 10 15 menos 20 Tabela

12 altura

acima da superfícieterra, m gelo espessura da parede b, mm, para diferentes regiões da URSS
I esmalte região asiática áreas do vidrado região e montanha URSS V norte Europeia URSS restante
200 15 assumida com base em especialx mapa levantamento assumido 4d aplicação obrigatória 5 35
300 20 mesmo mesmo mapa 4, d 45
400 25 « mesmo mapa 4, e 60

Tabela 13

altura acima do solo, m coeficiente 5 10 20 30 50 70 100
k 0,8 1,0 1,2 1,4 1,6 1,8

2,0 Tabela fio 14

diâmetro, cabo ou corda, milímetrocoeficiente 5 10 20 30 50 70
m1 1,1 1,0 0,9 0,8 0,7 0,6

Notas( para a Tabela 11-14.): 1. a região V de montanha e inexplorados áreas da URSSdesignado no mapa 4 aplicação obrigatória 5 , e em terreno acidentado( em topos de morros e montanhas, desfiladeiros em altas aterros, na fechadas vales das montanhas, depressões, profunda caulesmkah etc.) espessura da parede de gelo deve ser determinado com base em ensaios e observações específicas.

2. Os valores intermediários das quantidades devem ser determinados por interpolação linear.

3. A espessura da parede de gelo em elementos horizontais suspensos de seção transversal circular( cordas, fios, cordas) pode ser tomada no auge da localização do centro de gravidade reduzido.

4. Para determinar a carga de gelo sobre os elementos horizontais de forma cilíndrica circular, com um diâmetro de até 70 milímetros de espessura de parede do esmalte contido na Tabela.12, deve ser reduzido em 10%.

7.5.A temperatura do ar no gelo, independentemente da altura das estruturas, deve ser tomada em áreas montanhosas com uma marca: mais de 2000 m - menos 15 ° C, de 1000 a 2000 m - menos 10 ° C;para o resto da URSS para estruturas de até 100 m - -5 ° C, mais de 100 m - menos de 10 ° C.

Nota. Nas áreas onde o gelo é observado abaixo de -15 ° C, ele deve ser tomado de acordo com os dados reais.

8. EXPOSIÇÃO CLIMÁTICA DE TEMPERATURA

8.1.Em casos previstos pelas regras do projeto estrutural deve levar em conta a mudança na temperatura média de tempo Dt e queda de temperatura ea seção transversal do elemento.

8.2.valores normativos de variação média da temperatura através da secção do elemento, respetivamente, em Dtw quente e tempo Dtc fria do ano deve ser determinado pelas fórmulas:

( 15)

( 16)

onde tw, tc - valores característicos de temperaturas médias mais o elemento de secção transversal em estações quentes e frias,aceito de acordo com o parágrafo 8.3;

t0w, T0C - a temperatura inicial das estações quentes e frias, tomadas de acordo com o ponto 8.6. .

8.3.valores normativos de tw temperatura média e tc e mudanças de temperatura ao longo do elemento de secção transversal em tempo quente e frio Jw Jc de ano para modelos de camada única deve ser determinada na mesa.15.

Nota. Para estruturas multicamadas, tw, tc, Jw, Jc são determinadas por cálculo. As construções feitas de vários materiais que estão próximos em termos de parâmetros termofísicos podem ser consideradas de uma única camada.

Tabela 15

construção de edifícios Edifícios e estruturas nos
fase operacional edifícios não aquecidos( sem fontes tecnológicas de calor) e instalações ao ar livre Imóvel aquecida com clima artificial, ou com fontes tecnológicas constantes de
calor não protegido da radiação solar( incluindorevestimento de fachada) tw = tew + q1 + Q4 tw = TIW + 0,6( tew - TIW) + q2 + Q4
Jw = Q5 Jw = 0,8( tew - TIW) + q3 +
q5 = tctec - 0,5q1 tc = tic + 0,6( tec - tic) - 0,5q2
Jc = 0 Jc = 0,8( tec - tic) - 0,5q3
protegido da radiação solar( incluindo interno) tw = tew tw = TIW
Jw = 0
tc = tec tc = tic
Jc = 0

_____________

Símbolos utilizados no Quadro.15: tew

, tec - temperatura do ar exterior diária média, respectivamente, na estação quente e fria, feita de acordo com o parágrafo 8.4; .

TIW, tic - a temperatura interna em conformidade colocados em estações quentes e frias, tomadas de acordo com GOST 12.1.005-88 ou trabalho de construção com base em soluções tecnológicas;

Q1, Q2, Q3 - meio de incremento ao longo do percurso do elemento temperatura e a diferença de temperatura a partir de flutuações diárias fora temperatura do ar tomado a partir da tabela.16;

q4, q5 - meio de incremento acima da temperatura secção de elemento e a diferença de temperatura a partir da radiação solar recebida de acordo com o ponto 8.5. .

Notas: 1. Se você tiver as estruturas de dados de temperatura originais na fase de operação de edifícios com fontes tecnológicas constantes de valores de calor de tw, tc, Jw, Jc devem ser tomadas com base nesses dados.

2. Para edifícios e estruturas na fase de construção de TW, tc, JW, Jc definido como para os edifícios não aquecidos sob a sua operação. Tabela 16

Construções edifícios incrementos de temperatura de q, ° C
q1 Q2 Q3
8 6 4
metal betão armado, betão, alvenaria reforçada e espessura de pedra, ver:
8 6 4
a 15 de 15 a 39 6 4 6
comunicação.40 2 2 4

8.4.deve ser definido pelas fórmulas temperatura média do ar exterior diária na tew quente e estação tec frio:

( 17)

( 18)

em que tI, tVII - temperatura mensal média perene em Janeiro e Julho recebidos respectivamente pelas placas 5 e 6 obrigatóriaAplicação 5 ;

DI, DVII - desvios da temperatura média diária média mensal( DI - recebeu obrigatória mapa sete aplicação 5 , DVII = 6 ° C).

Notas: 1. Em edifícios industriais aquecidos durante a operação para estruturas protegidas contra radiação solar, o DVII pode ser ignorado.

2. Para montanha e áreas inexploradas URSS marcado em mapas 5-7 aplicação obrigatória 5 , tec, tew definido pelas fórmulas:

( 19)

( 20) em que

tI, min, tVII, max - média do absolutaos valores da temperatura mínima do ar em janeiro e a temperatura máxima em julho, respectivamente;

АI, АVII - amplitudes diárias médias da temperatura do ar respectivamente em janeiro e julho com um céu claro.

tI, min, tVII, max, АI, АVII são aceitos de acordo com Roshydromet.

8.5.Incrementa Q4 e Q5, ° C, devem ser determinados pelas fórmulas:

( 21)

( 22) em que r

- superfície de absorção de radiação solar do exterior da estrutura imagens de coeficiente recebido no SNP II-3-79 *;

Smax - valor máximo do total( directa e difusa) radiação solar em W / m2, para ser feita pelo SNP 23-01-99 *;

k - coeficiente, retirado da tabela.17;

k1 - coeficiente, retirado da tabela.18.

Tabela 17 Tipo de

e orientação da superfície( s) de coeficiente k
1,0
horizontal orientada vertical:
Sudoeste 1,0
0,9
leste 0,7

Tabela 18

construção de edifícios coeficiente k1
metal 0,7
concreto, concreto, alvenaria reforçada e espessura de pedra, consulte:
15 0,6
15-39 0,4 comunicação
.40 0.3

8.6.A temperatura inicial correspondente ao desenho de fecho ou uma sua poro em um sistema completo, em época T0C t0w quente e frio deve ser definido pelas fórmulas:

( 23)

( 24)

Nota. Na presença de dados no prazo do calendário para a construção, o procedimento para a produção de trabalho, etc., a temperatura inicial pode ser especificada de acordo com esses dados.

8.7.O fator de classificação de carga gt para as influências climáticas de temperatura Dt e J deve ser considerado 1.1.

elementos de construção
Os requisitos de deflexão vertical limites fu cargas para determinar a deflexão
1. vigas verticais guindaste pista sob a ponte e pontes rolantes operadas:
do chão, incluindo guinchos( talha) Tecnológico l / 250 De
uma torneira da cabina, quando grupos de modos( GOST 25546-82): fisiológica e tecnológica
1K, 6K l / 400 mesmo
7K l / 500 «
8K l / 600 « 2
. O vigas, treliças, vigas, etc. Os fogões de chama, plataformas( incluindo placas de nervuras transversais e estrado):
a) corresponde e se sobrepõe abertos para avaliação pela passagem L, M: Estética psicológico permanente e temporária
longo l £ 1 l / l 120
= 3 l / 150
l = 6 l / 200
l = 24( 12) l / 250
l ³ 36( 24) l / 300
b) cobre e sobrepõe-se à presença de deflectores por baixo construtivafeita de acordo com o parágrafo. 6 recomendado aplicação 6 leva a uma redução da folga entre o elementos de suporte de intercepçãoruktsy e deflectores, disposta sob os elementos
) cobre e sobrepõe-se à presença neles elementos sujeitos a fissuração( betonilhas, pisos, paredes) « l / 150 Aplicada após paredes, pisos, betonilhas
g) e sobrepõe-se com cobrepresença de monta-cargas( guinchos), pontes rolantes controladas:
chão Processo l / 300 ou um / 150( o menor dos dois) tempo com base na carga de um guindaste ou guincho( talhas) em um único
caminho a partir da cabina fisiológica l / 400 ou A / 200( o menor dos dois) de um guindaste ou guincho( talhas) sobre um único caminho
d) sobreposição, exposto a: fisiológico e
transportado bens tecnológicos, materiais, componentes e elementos de equipamentos e outro móvelcargas( incluindo o transportador sem trilhas andar) l / 350 0,7 valores normativos temporária plena carga ou cargas a partir de um carregador( mais negativo) das duas cargas
do trilho:
estreito calibre l / 400 de odnogconjunto de vagões( ou uma máquina de andar) no mesmo
caminho largo l / 500 mesma
3. Elementos de escadas( marços, plataformas, longarinas), varandas, galerias Aesthetic psicológica Aqueles que estão em pos.2 e
fisiológica determinada de acordo com o n.
10,10 4. placas de sobreposição, escadas e plataformas, que não interferem com elementos deflectores adjacentes « 0,7 mm carga Ponto de 1 kN( 100 kgf) em meio vão
5. Caminhadas e painéis de parede com dobradiça acima das aberturas das janelas e das portas( parafusos e corrediças) Constructivo l / 200 Reduzindo o espaço entre os elementos do rolamento e o revestimento da janela ou da porta localizado sob os elementos
. Aesthetical-psicológico Mesmo,que na pos.2 e

10.

PROBLEMAS E DESPLAZAMENTOS As normas desta seção estabelecem as deflexões e deslocamentos máximos das estruturas de cofragem e cofragem de edifícios e estruturas ao calcular o segundo grupo de estados limite, independentemente dos materiais de construção utilizados.

As normas não se aplicam a instalações hidrotécnicas, transportes, usinas nucleares, além de linhas aéreas de transmissão de energia, painéis abertos e sistemas de antenas de comunicação.

INSTRUÇÕES GERAIS

10.1.Ao calcular estruturas de construção para deflexões( curvas) e deslocamentos, a condição

( 25)

deve ser cumprida onde f é a deflexão( flexão) e o movimento do elemento estrutural( ou estrutura como um todo), determinado levando em consideração os fatores que influenciam seus valores, de acordo comcom pp.1-3 do anexo 6 ​​recomendado;

fu - ultimate deflection( dobra) e movimento, estabelecidos por esses padrões.

O cálculo deve basear-se nos seguintes requisitos:

a) tecnológico( garantindo o funcionamento normal do equipamento tecnológico e de manuseio, instrumentação, etc.);B) construtivo( garantindo a integridade dos elementos estruturais adjacentes e suas juntas, fornecendo inclinações especificadas);

c) fisiológico( prevenção de efeitos nocivos e sensações de desconforto quando flutuante);

d) estético-psicológico( proporcionando uma impressão favorável do aparecimento de estruturas, impedindo a percepção de perigo).

Cada um desses requisitos deve ser cumprido ao calcular independentemente dos outros.

As restrições sobre vibrações estruturais devem ser instaladas de acordo com os documentos normativos da cláusula 4 do anexo recomendado.

10.2.As situações de design para as quais as deflexões e os movimentos devem ser determinados, as cargas correspondentes, bem como os requisitos para a elevação da construção são indicados no ponto 5 do anexo recomendado.

10.3.Deflexão limita elementos estruturais de telhados e tectos, limitados com base nas exigências tecnológicas e construtivas e fisiológicas deve ser medido a partir do eixo curvo, que corresponde ao elemento de estado no momento da aplicação de carga a partir da qual a deflexão calculada e limitada com base nos requisitos estéticos e psicológicos - sobre uma linha recta que ligaapoia esses elementos( veja também o item 7 do Apêndice 6 recomendado).

10.4.As deflexões dos elementos estruturais não são limitadas com base em requisitos estéticos e psicológicos, se não prejudicarem a aparência de estruturas( por exemplo, revestimentos de membrana, viseiras inclinadas, estruturas com cinturão inferior) ou se os elementos estruturais estiverem ocultos. As deflexões não são limitadas com base nesses requisitos e para estruturas de tetos e revestimentos em salas com curta permanência de pessoas( por exemplo, subestações de transformadores, sótãos).

Nota. Para todos os tipos de revestimentos, a integridade do tapete de cobertura deve ser fornecida, em regra, por medidas construtivas( por exemplo, usando juntas de expansão, criando a indivisibilidade dos elementos de revestimento), em vez de aumentar a rigidez dos elementos de rolamento.

10.5.O fator de carga para todas as cargas consideradas e o fator dinâmico para cargas de carregadores, carros elétricos, guindastes de ponte e suspensão devem ser considerados iguais a um.

Os coeficientes de confiabilidade para responsabilidade devem ser tomados de acordo com a aplicação obrigatória 7.

10.6.Para elementos estruturais dos edifícios e estruturas, deformações limite e movimentos que não são estipulados por este e outros regulamentos, ambos os desvios e movimentação de cargas permanente, de longo prazo e de curto prazo verticais e horizontais não deve exceder 1/150 do vão ou 1/75 consola partida.

LIMITES VERTICAIS DOS ELEMENTOS DAS ESTRUTURAS

10.7.As deflexões limitantes verticais de elementos estruturais e cargas, a partir das quais as deflexões devem ser determinadas, são dadas na Tabela.19. Os requisitos para autorizações entre elementos adjacentes são fornecidos na cláusula 6 do anexo recomendado.

Tabela 19

_____________

As designações adotadas na Tabela 1.19:

l - intervalo calculado do elemento estrutural;

a - o passo de feixes ou trusses, ao qual as trilhas suspensas estão ligadas.

Notas: 1. Para o console, em vez de l, o dobro de sua decolagem deve ser tomado.

2. Para valores intermediários de l em pos.2, e as deflexões definitivas devem ser determinadas por interpolação linear, levando em consideração os requisitos da cláusula 7 do anexo recomendado.

3. Na pos.2, e os números indicados entre parênteses devem ser tomados em alturas de sala até 6 m inclusive.

4. Características do cálculo das deflexões na pos.2, d são especificados na cláusula 8 do anexo recomendado.

5. Ao limitar as deflexões, os requisitos psicológicos estéticos permitem que a passagem l seja igual à distância entre as superfícies internas das paredes de mancais( ou colunas).

10.8.A distância( distância) do ponto superior do guindaste da ponte até a parte inferior das estruturas de suporte dobradas dos revestimentos( ou objetos anexados a eles) deve ser de pelo menos 100 mm.

10.9.As deflexões dos elementos das coberturas devem ser tais que, apesar da disponibilidade, uma inclinação do telhado de pelo menos 1/200 em uma direção foi fornecida( exceto nos casos estipulados em outros documentos normativos).

10.10.elementos limites de deflexão piso( vigas, vigas, lajes), escadas, varandas, edifícios residenciais e públicos e instalações residenciais de edifícios industriais, com base nas necessidades fisiológicas devem ser definidos pela fórmula

( 26)

onde g - aceleração dacaindo;

p - o valor normativo da carga de pessoas que vibram, de acordo com a Tabela.20;

p1 - o valor normativo reduzido da carga na sobreposição, tomado de acordo com a tabela .3 e 20;

q - o valor normativo da carga sobre o peso do elemento a ser calculado e as estruturas suportadas nela;

n - a frequência de aplicação da carga ao caminhar uma pessoa, de acordo com a Tabela.20;B é o coeficiente obtido da Tabela.20.

Tabela 20

Quartos aceitos pela mesa .3 p, kPa( kgf / m2) p1, kPa( kgf / m2) n, b Hz
Pos.1, 2, exceto para salas de aula e casa;3, 4, a, 9, b, 10, b 0,25( 25) Aceito de acordo com a tabela .3 1,5
Pos.2 - classe e casa;4, b-d, exceto dança;

pos.9, a, 10, a, 12, 13

0,5( 50) Mesma 1,5
Pos.4 - dança; pos.6, 7 1,5( 150) 0,2( 20) 2,0 50

_____________

As designações adotadas na Tabela 6 são usadas.20:

Q - peso de uma pessoa, tomado igual a 0,8 kN( 80 kgf);

a é o coeficiente assumido como sendo 1,0 para os elementos calculados no esquema do feixe, 0,5 para os casos restantes( por exemplo, quando as placas são suportadas em três ou quatro lados);

a - passo de vigas, barras transversais, largura de lajes( decking), m;

l - verificando estrutura membro de passagem, m

deflexão deve ser determinada a partir da quantidade yA1p + P1 + q cargas onde yà1 -. Fator determinada pela fórmula( 1).

LIMITES HORIZONTAIS DE COLUNAS E ESTRUTURAS DE FREIO DAS CARGAS DE GRUAS

10.11.As deflexões limitantes horizontais de colunas de edifícios equipados com guindastes, passagens de grua, bem como vigas de trilhos de grua e estruturas de freio( vigas ou trusses) devem ser retiradas da Tabela.21, mas não inferior a 6 mm.

As deflexões devem ser verificadas na cabeça dos trilhos da grua das forças de frenagem do carrinho de um guindaste, direcionadas pela trilha da grua, sem levar em consideração o rolo da base.

Tabela 21

guindastes modos Grupos deflexão colunas limites fu
trilhos de pórtico do feixe e construções de freio, edifícios e racks Crane( interior e exterior) edifícios
e cavaletes guindaste interior aberta guindaste de cavalete
1T - 3T h / 500 h / 1500 l / 500
4K - 6K h / 1000 h / 2000 l / 1000
7K - 8K h / 2000 h / 2500 l /

2000 _____________ símbolos

utilizados na Tabela.21:

H - altura da parte superior da fundação para a cabeça do guindaste ferroviário( para construções térreas e cavaletes guindaste interiores e exteriores) ou afastando-se do eixo do parafuso para se sobrepor à cabeça do carril de guindaste( por andares superiores de edifícios de grande altura);

l - membro estrutural verificando passagem( feixe).

10,12.Horizontal limite convergência carril de grua prateleiras abertas de cargas aplicada excentricamente horizontais e verticais a partir de uma grua( excluindo porões rolar) restringido em função dos requisitos do processo, deve ser igual a 20 mm.

HORIZONTAL limite de percurso e flacidez edifícios quadro, os elementos estruturas separadas & APOIA galerias do tapete rolante de carga de vento ROLO DE BASES E IMPACTOS TEMPERATURA CLIMÁTICAS

10,13.O deslocamento horizontal limitando edifícios com estrutura, limitado, com base nos requisitos estruturais( manutenção da integridade dos elementos de paredes aro de enchimento, paredes, janelas e portas) são mostrados na Tabela.22. Diretrizes para a definição dada nos deslocamentos de sinistros. 9 aplicação recomendada 6.

10,14.O movimento horizontal dos edifícios de frame para ser determinado, geralmente com as bases( rotação) do rolo. Neste caso, a carga do peso dos equipamentos, móveis, pessoas, materiais e produtos armazenados devem ser considerados somente quando um uniforme contínua upload todos os pisos de edifícios de vários andares essas cargas( com base em sua diminuição, dependendo do número de pisos), com excepção dos casos em que os termos da operação normalde outro modo fornecido pelo carregamento.bases do banco

deve ser determinada tendo em conta a carga do vento recebida a uma taxa de 30% do valor padrão.

para edifícios de até 40 m( e transportador suporta galerias qualquer altura) localizados nas áreas de vento I-IV, fundações rolo causadas por carga de vento, para não ser tomada em consideração. Tabela

22

Edifícios, paredes e divisórias Órtese de paredes e divisórias para um edifício limite movimento fu
esqueleto 1. edifícios de vários andares Quaisquer h / 500
2. Um andar arranha-céus: hs flexíveis / 300
a) paredee paredes feitas de tijolo, betão de gesso, placas de betão hs inertes / 500
b) paredes revestidas com blocos de pedra natural, de cerâmica, vidro( coradas) « hs / 700
edifício 3. andares( com auto-suportado paredes) alturahs piso, m: hs
de ceder 6 £ hs hs / 150 = 15
hs hs / 200
³ 30 hs / 300

_____________ Símbolos utilizados no Quadro

.22:

H - altura de edifícios de vários andares, que é igual à distância desde a fundação para o eixo de revestimento barra de topo;

hs - altura do chão em edifícios de um andar, igual à distância desde o topo da base até o fundo dos treliças;em edifícios de vários andares: para o piso inferior - igual à distância do topo da base ao eixo da barra transversal;para os restantes pisos - igual à distância entre os eixos das barras transversais adjacentes.

Notas: 1. Para valores intermediários de hs( na posição 3), os movimentos do limite horizontal devem ser determinados por interpolação linear.

2. Para os pisos superiores de edifícios de vários andares projetados usando elementos de construção de um andar, os movimentos do limite horizontal devem ser considerados iguais aos dos edifícios de um andar. Neste caso, a altura do andar superior hs é tirada do eixo da barra transversal do piso interstorey ao fundo das estruturas da viga.

3. Fixações compatíveis incluem paredes de fixação ou divisórias na armação, não interferindo com o deslocamento da armação( sem transferência para paredes ou partições de forças que possam causar danos aos elementos estruturais);para fixações rígidas, evitando deslocamentos mútuos do quadro, paredes ou divisórias.

4. Para edifícios de um andar com paredes de cortina( bem como na ausência de uma cobertura de disco rígido) e pisos de vários andares, o movimento máximo é permitido aumentar em 30%( mas não leva mais do que hs / 150).

10.15.O movimento horizontal de edifícios sem molas a partir de cargas de vento não é limitado se suas paredes, divisórias e elementos de conexão forem projetados para resistência à fissura e resistência.

10.16.As deflexões do limite horizontal dos quadros e barras transversais da moldura de enxaimel, bem como dos painéis de parede pendurados da carga de vento, limitados com base nos requisitos de projeto, devem ser tomados iguais a l / 200, onde l é a extensão calculada dos pilares ou painéis.

10.17.As deflexões limitativas horizontais dos suportes das galerias transportadoras a partir de cargas de vento, limitadas com base em requisitos tecnológicos, devem ser tomadas iguais a h / 250, onde h é a altura dos suportes do topo da base ao fundo das vigas ou feixes.

10.18.Horizontais deflexões limite colunas( colunas) de frame edifícios de climática temperatura e exposição encolhimento deve ser igual: hs

/ 150 - para as paredes e os deflectores de tijolos, betão gesso, betão armado e painéis articulados,

hs / 200 - com paredes revestidas com pedra natural,a partir de blocos de cerâmica, de vidro( vitrais), onde hs é a altura do chão, e para edifícios de um andar com guindastes de ponte - a altura do topo da base até o fundo das vigas de trilhos da grua.

Neste caso, os efeitos de temperatura devem ser tomados sem levar em conta as flutuações diárias na temperatura do ar exterior e a diferença de temperatura da radiação solar.

Ao determinar as deflexões horizontais dos efeitos de temperatura climática e de encolhimento, seus valores não devem ser resumidos com deflexões de cargas de vento e do rolo de base.

LIMITES DE ELEMENTOS DE SUPERFÍCIES INTERSTATAS DA PRESSÃO PRELIMINAR

10.19.As curvas limitantes dos elementos da sobreposição de interfone, limitadas com base nos requisitos de projeto, devem ser tomadas iguais a 15 mm para l ≤ 3 m e 40 mm para l ³ 12 m( para valores intermediários de l, as curvas limitantes devem ser determinadas por interpolação linear).

As curvas f devem ser determinadas a partir de forças de pré-compressão, auto-peso dos elementos do chão e pesos do piso.

APLICAÇÕES

ANEXO 1 Referência

ponte e gerais guindastes de diferentes grupos de modos de funcionamento( amostra LIST)

Cranes Grupos modos Termos
mão todos os tipos 1T - 3T Qualquer
com grua unidade de popa, incluindo um mandíbulas articuladasreparação e operações de movimentação
limitada caminhões intensidade guincho de mão, incluindo um mandíbulas articuladas Máquina salas de usinas de energia, o trabalho de instalação, recarregandotrabalhar limitada
Carinhos intensidade de guincho, incluindo um mandíbulas articuladas 4K - 6K Doca de trabalho de média intensidade, trabalho tecnológico em oficinas mecânicas, armazéns de produtos acabados, os materiais de construção da empresa, armazéns metallosbyta
com tipo grab dvuhkanatnogo grab magnéticaarmazéns mistos, que trabalham com diferentes cargas
magnéticos armazéns intermediários, trabalhar com uma variedade de cargas
têmpera, forjamento, macho, nalianças Thein 7K
empresas metalúrgicas com Armazéns tipo grab dvuhkanatnogo grab magnética produtos a granel e sucata de metal com cargas uniformes( que operam em um ou dois turnos)
Com caminhões guincho de mão, incluindo um mandíbulas articuladas Cranes Processo emrelógio
trabalho transversal, muldogreyfernye, muldozavalochnye para descascar lingotes, Elevar-se, cúpula, kolodtsevoy 8K guildas empresas metalúrgicas
Magnetic CEHI e armazéns instalações metalúrgicas, bases de metais grandes com cargas homogéneas
C agarra dvuhkanatnogo tipo garra magnética recipientes a granel par armazenamento e aparas com cargas homogéneas( quando o trabalho do relógio)

ANEXO 2
Necessário

CARGA DE IMPACTO tampão TAP O pára

valor característicohorizontal carga F, kN dirigida ao longo da pista de grua e o guindaste causada por bater a ênfase bloqueio deve ser determinado pelo

fórmula em que v - taxa de movimento da grua em mmento pino, tomada na metade do nominal m / s;

f - o maior possível precipitado tampão, presume ser igual a 0,1 m para as gruas com carga de suspensão flexível que levam capacidade de não mais do que 50 m modos grupos 1K-7K e 0,2 m - nos outros casos;

m - massa da torneira reduzida, definido pela fmula aqui

mb - massa do guindaste de ponte, t;

Tc - o bonde, ou seja;

TQ - capacidade de elevação, t;

k - fator;k = 0 - para guindastes com suspensão flexível;k = 1 - para guindastes com uma suspensão rígida de carga;

l - intervalo de guindaste, m;.

L1 - aproximando caminhão, m

valor calculado da carga em questão, tendo em conta o factor gt de segurança de carga( .. Veja secção 4.8) é tomada menos do que os limites especificados na tabela a seguir:

.
número circuito perfis revestimentos e circuito carga de neve coeficiente m e aplicação esquemas
1 edifícios com uma ou duas pistas de revestimentos m = 1 para uma £ 25 ° C; m = 0 «³ 60 °.

As concretizações 2 e 3, devem ser considerados para edifícios com revestimentos de empena( perfil B), com a opção 2 - a 20 ° £ a £ 30 °;Opção 3 - a 10 ° £ a £ 30 ° apenas com a navegar dispositivos de ponte ou de arejamento

2 cume cobrindo edifícios com mesma arqueada e estreita cobre o contorno m1 = cos 1,8a;m2 = 2,4 pecado 1,4a, onde um - viés revestimento °
2 ¢ revestimentos sob a forma de arcos de lanceta Quando b ³ 15 ° deve usar diagrama 1b, tendo l = l, com b
3 Edifícios com longitudinallanternas fechado

topo, mas não mais do que:

4,0 - para treliças e vigas, com um valor padrão de peso de revestimento de 1,5 kPa ou menos;

2,5 - para trusses e vigas a um valor padrão de peso de revestimento acima de 1,5 kPa;

2,0 - para placas de concreto armado acima de 6 m e menos e para pavimentos perfilados de aço;

2,5 - extensão de lajes de betão ao longo de 6 m, bem como para executado independentemente do intervalo;

bl = hl, mas não mais que b.

Ao determinar uma extremidade de carga da lâmpada da zona B do coeficiente m em ambas as formas de realizao devem ser considerados como 1,0

Notas: 1. A forma de realização do Esquema 1, 2 deve também aplicar-se para as superfícies de empena e edifícios dois-três vãos curvas com lanternas no meio de edifícios.

2. A influência dos queimadores na distribuição da carga de neve perto das luzes da rua deve ser ignorada.

3. Para patins planos com b & gt;48 m deve ter em conta local aumentada de carga na lâmpada, como em gotas( ver figura 8.)

3 ¢ Construções com luzes longitudinais, abertas superiores valores b( b1, b2) e m deve ser determinado de acordo com as instruções para o circuito 8;l extensão é tomado igual à distância entre os bordos superiores das lanternas
4 Shed esquemas de revestimento deve ser utilizado para revestimentos vertente, incluindo o esboço vitrificado inclinado telhado em arco
5 duas e edifícios de multi-span com revestimentos gable Opção 2 deverá ser considerado num
6 ³ 15 °dois e multi-extensão com a construção em arco e intimamente relacionados em esboço cobre Opção 2 deverá ser considerado a fim de lajes de betão armado que cobrem os valores de m fatores deve ser tomada mais do que 1,4
7 Dois e multi-alcance edifícios com empena arqueada e revestido com um longitudinal coeficiente lâmpada m a tomar pilotado com uma lanterna, de acordo com formas de realização 1 e 2 do Esquema 3, para vãos sem lanterna - com formas de realização 1 e 2, circuitos 5 e 6. Para empena plano(um revestimento com l & gt; 48 m deve levar em conta o aumento de carga local como em gotas( ver esquema 8)
8 Edifícios com carga de neve elevação

no acabamento devem ser tomadas de acordo com Esquemas 1-7, e na parte inferior - de duas maneiras: de acordo com esquemas 1-7 e Esquema 8( para edifícios - profile "a" para toldos - PerfilO coeficiente m deve ser tomado igual a:

onde h é a altura da gota, m, medida a partir do beiral da cobertura superior até o teto da inferior e com um valor superior a 8 m, tomado como m é 8 m;

l ¢ 1;l ¢ 2 - os comprimentos das secções da capa superior( l ¢ 1) e inferior( l ¢ 2), a partir da qual a neve é ​​transportada para a zona de diferença de altura, m;eles devem ser aceitos:

para revestimento sem lanternas longitudinais ou com lanternas transversais -

para revestimento com lanternas longitudinais -

( com l ¢ 1 e l ¢ 2 pelo menos 0).

t1;m2 - a proporção de neve transportada pelo vento para a diferença de altitude;os seus valores para os revestimentos superiores( m1) e inferiores( m2) devem ser tomados de acordo com o seu perfil:

0,4 - para uma cobertura plana com £ 20 °, abobadada com f / l £ 1/8;

0.3 - para revestimento plano com um & gt;20 °, abobadado com f / l & gt;1/8 e revestimentos com lanternas transversais.

Para coberturas reduzidas com uma largura

m2 = 0,5 k1 k2 k3, mas não inferior a 0,1, onde( com a inclinação inversa mostrada na figura por uma linha tracejada, k2 = 1);mas não inferior a 0,3( a - em m, b, j - em graus).

O comprimento da zona de deposição de neve aumentada b deve ser tomado igual a:

a b = 2h, mas não superior a 16 m;

em não mais do que 5 horas e não mais do que 16 m coeficientes

m, aceites para o cálculo( mostrado em duas formas de realização esquemas) deve exceder:

( onde h - em m; s0 - kPa).

4 - se a cobertura inferior for uma cobertura de construção;

6 - se a tampa inferior for um dossel. O coeficiente m1 deve ser tomado:

m1 = 1 - 2m2.

Notas: 1. Com d1( d2) & gt;12 m, o valor de m para a seção de queda do comprimento d1( d2) deve ser determinado sem levar em conta o efeito das lanternas no revestimento levantado( abaixado).

2. Se os limites da capa superior( inferior) tiverem um perfil diferente, então, na determinação de m, é necessário levar o valor correspondente de m1( m2) para cada projeto dentro de l ¢ 1( l ¢ 2).

3. carga local no diferencial não deve ser tomado em consideração se a altura diferencial, m, entre dois revestimentos adjacentes inferior( onde S0 - em kPa) Construções

9 com carga de neve duas gotas altura na tampa superior e inferior para ser feita de acordo com o esquema 8. Valoresm1, b1, m2, b2 deve ser determinado para cada gota tendo independentemente: T1 e T2 no circuito 9( cargas determinadas perto h1 e h2 gotas) correspondente ao M1 no esquema 8 e m3( neve fracção transportados pelo vento sobre o revestimento de reduzida) correspondendom2 no Esquema 8. Neste caso:



10 Revestimento comparapets O esquema deve ser usado quando( h - em m; s0 - em kPa);

mas não mais do que três revestimentos

11 terreno adjacente ao eleva-se acima do telhado ventilação poços e outras superstruturas esquema refere-se às porções com diagonal base de superestruturas não mais de 15 MW, dependendo do desenho calculado( placas de cobertura, e podstropilnyh Truss) deve ter em contaa posição mais desfavorável da zona de carga aumentada( para um ângulo arbitrário b).

O coeficiente m, constante dentro da zona especificada, deve ser tomado igual a:

1.0 a d 1,5 m;

mas não mais do que 1,0 e menor do que não:

1,5

em 1.5 2.0 «5

2,5« 10

b1 = 2 horas, mas não mais do que

12 2d revestimento de suspensão forma cilíndrica m1 = 1,0;
diagramas de circuitos Edifícios com longitudinal Ci Destacada estrutura cristalina planar
número de edifícios, elementos estruturais e carga de vento Determinação de coeficientes aerodinâmicos Notas
1 destacada construção sólida plana. -
vertical e desvia-se da vertical, por não mais de 15 ° da superfície:
barlavento ce = +0,8
sotavento ce = -0,6
2 Edifícios com revestimentos gable coeficiente
um, deg valores CE1, CE2em igual
0 0,5 1 ³ 2
CE1 0 0 -0,6 -0,7 -0,8 1. quando o vento perpendicular à face de extremidade de edifícios, por toda a superfície do revestimento de ce = -0,7.
20 +0.2 -0.4 -0.7
40 -0.8 +0.4 +0.3 -0.2 -0.4
60 +0.8 +0.8 +0,8 +0,8
CE2 £ 60 -0,4 -0,4 -0,5 -0,8 2. na determinação do coeficiente n, de acordo com o n. os valores 6,9
gt;
& lt; / RTI &
3 Edifícios com abobadado e perto deles em revestimentos de contornos 1. Ver nota.1 ao esquema 2.2.Para determinar o coeficiente n, de acordo com o n. Os valores de coeficiente de 6,9 ​​
CE1, CE2 em igual
0,1 0,2 0,3 0,4 0,5 CE1
0 0,1 0 2 0,4 0,6 0,7
0,2 -0,2 -0,1 0,2 0,5 0,7
³ 1 -0,8 -0,7 0,3 0,3 0,7
CE2 arbitrária -0,8 -0,9 -1,1 -1 -1,2 valor
Ce3 tomada pelo esquema 2 com um longitudinais Construções
4 lanterna coeficientes CE1, CE2 e Ce3 ser determinada de acordo com o decretoniyami ao Esquema 2 1. Ao calcular as armações transversais e edifícios com vetroboynymi lanterna protege valor total de coeficiente de resistência ao "lanterna-painéis" sistema de pára-brisas tomado igual 1,4.2.Ao determinar o coeficiente n de acordo com a cláusula 6.9
lâmpadas
5 para o revestimento de um edifício no segmento AB coeficientes si deve tomar Esquema 4. Para porção lâmpadas de sol ao l £ 2 cx = 0,2;em 2 £ l £ 8 para cada lâmpada cx = 0,1l;se l & gt;8 cx = 0,8 aqui. Para outras porções

revestimento ce = -0,5

1. para barlavento, paredes laterais de sotavento e edifícios pressionar coeficientes devem ser determinadas de acordo com as instruções do esquema 2.2.Para determinar o coeficiente n, de acordo com o n. 6.9
6 Edifícios com luzes longitudinais de diferentes coeficientes de alturas c ¢ e1, e2 com ¢¢ ¢ E3 e deve ser determinada em conformidade com as instruções para o Esquema 2, em que deve ser feita a determinação de CE1 altura h1seção zdaniya. Dlya AB sE parede barlavento deve ser determinada, bem como para a seção de circuito inteiro 5, onde pela h1 - h2 é necessário tomar a altura do lâmpada Vide Nota. .1 e 2 do Esquema 5
7 Edifícios com derramado por secção revestimentos AB si deve ser determinado de acordo com as instruções da parte do esquema 2. Para sol ce = -0,5 1. A força de atrito deve ser considerado em qualquer direcção do vento, em que cf= 0,04.2.Ver. Nota.1 e 2 do Esquema 5
8 Edifícios com lanternim Para barlavento lâmpada coeficiente ce deve ser determinado de acordo com as instruções para o Esquema 2, para o resto do revestimento - como um local para sol circuito 5 Ver Nota. .1 e 2 do Esquema 5
9 Construções permanentemente aberta de um lado Em 5 m £ si2% = si1 = ± 0,2;quando m ³ 30% SI3 si1 deve ser tomado como determinado de acordo com as instruções para o Esquema 2;si2 = ± 0,8 1. Coeficientes se sobre a superfície exterior para ser feita em conformidade com as instruções do esquema 2.2.cerca m permeabilidade deve ser definido como a razão da área total disponível para o aberturas para a área total da cerca. Para vedar o edifício deve ser ci = 0. Em edifícios especificados em Sec. 6,1 em, o valor padrão da pressão interna nas partições pulmões( quando a densidade superficial inferior a 100 kg / m 2) deve ser igual 0,2w0, mas não menos do que 0,1 kPa( 10 kgf / m2).

3. Para cada uma das paredes de um edifício como um "mais" ou "menos" para a si1 coeficiente quando m £ 5% deve ser determinado com base nas condições mais adversas de realização do caso de carga.saliências

10 de edifícios a uma porção para CD ce = 0,7.deve ser determinado por interpolação linear dos valores obtidos para os pontos B e C. Os coeficientes CE1 e CE3 no segmento AB para ser feita em conformidade com as instruções do esquema para a secção BC ce 2( em que b e l - dimensões em planta da construção). Para superfícies verticais coeficientece deve ser determinado de acordo com as instruções para os esquemas 1 e 2 -
11 Tendas tipo circuito um, os valores de coeficiente de granizo 1. coeficientes CE1, CE2, Ce3, Ce4 ser atribuídas à quantidade de pressão sobre a parte superior e as superfícies inferiores navesov. Dlyao negativovalores do CE1, CE2 direcção, Ce3, Ce4 da pressão nos diagramas deve ser invertido.

2. Para coberturas com revestimentos onduladas cf = 0,04

CE1 CE2 Ce3 Ce4
I 10 +0.5 -1.3 -1.1 0
20 0 0 -0.4 +1.1 +
30 2,1 +0,9 +0,6 0
II 10 0 -1,1 -1,5 0
20 +1.5 +0.5 +2 0 0
30 +0.8 +0.4 +0.4
10 III 1,4 0,4 ​​ - - 1,8
20 +0,5 - -
30 +2,2 +0,6 - -
IV 10 + 1,3 +0,2 - -
20 +1,4 +0,3 - -
30 +1,6 +0,4 - -
12 e campo b, deg 0 15 30 45 60 75 90 1. coeficientes SE dada com Re & gt;4 × 105,2.Para determinar o coeficiente n, de acordo com o parágrafo. 6.9 devem ser b = = 0,7d
se 1,0 0,8 0,4 -0,2 -0,8 -1,2 -1,25
Continuação b, deg 105 120 135 150 175 180
se -1,0 -0,6 -0,2 0,2 0,3 0,4
cx = 1,3 emRe

c = 0,2 a 4 × 105 & gt;Re,

onde Re é o número Reynolds;

;

- diâmetro da esfera, m;

- determinado de acordo com 6.4, Pa;

- é determinado de acordo com a cláusula 6.5;

- distância, m, da superfície da terra ao centro da esfera;

- determinada de acordo com o parágrafo 6.11

12b Construções circularmente cilíndrica superfície & gt; , em que quando 1 = & gt; .0; 1. Re deve ser determinado pela fórmula no esquema 12a, tomando z = h1.2.. Para determinar o coeficiente n, de acordo com o parágrafo 6.9 devem ser tomadas:

b = 0,7d;

factor h = h1 + 0,7f

3. ci a considerar quando a tampa reduzido( "tecto flutuante"), bem como a ausência da sua

0,2 0,5 0,8 0,9 1 2 5 10 25
0,95 1,0 1,1 1,2 1,15
- deve ser tomado se Re & gt;4 × 105 de acordo com o esquema: revestimento
CE2 com valor igual
1/6 1/3 ³ 1
plana, afilada em um 5 £ °, quando esférico £ 0,1 -0,5 -0,6 -0,8
1/6 1/4 1/2 1 2 ³ 5
-0,5 -0,7 -0,55 -0,8 -0,9 -1,05
13 estruturas prismáticas ;Tabela 1 1. Para paredes com loggias com vento paralelo a essas paredes, cf = 0,1;para revestimentos ondulados com f = 0,04,2.Para retangular em termos de edifícios em l / b = 0,1 - 0,5 e b = 40 ° - 50 ° = 0,75;A carga de vento resultante é aplicada no ponto 0, com a excentricidade e = 0.15b.

3. Re deve ser determinado pela fórmula para o esquema 12a, tomando z = h1, d - diâmetro do círculo circunscrito.

4. Ao determinar o coeficiente n de acordo com 6.9 h - a altura da estrutura, b - a dimensão no plano ao longo do eixo y.

le 5 10 20 35 50 100
¥ k 0,6 0,65 0,75 0,85 0,9 0,95 1
le deve ser determinado de acordo com a Tabela.2. Tabela 2
le = l / 2 le = l le = 2l
Na tabela,2 l = l / b, onde L, b - respectivamente a tamanhos mínimos de estruturas ou componente num plano perpendicular à direcção vetraTablitsa 3 secções
esboços e instruções b máxima do vento e, granizo l / b
retangular 0 £ 1,5 2,1
³ 3 1,6
40 - 50 £ 0,2
³ 2,0 0,5 1,7
Losango 0 £ 0,5 1,9 1,6
1
³ dois 1,1
direito triângulo 0 - 2
180 - 1,2 Tabela 4
Esboços
secções e indicações b vento, granizo n( número de lados) em Re & gt;4 × 105
regulares polígono 5 arbitrária 1,8
6-8
10 1.5 1.2 1.0
12
14 Construções e seus elementos h superfície cilíndrica circular( tanques, torres, torres, chaminés de arrefecimento), e fioscordas, bem como elementos tubulares e sólidos redondos das estruturas transversais onde k - é determinado a partir da Tabela.1 do esquema 13;

- determinada de acordo com o esquema:

para cabos e fios( incluindo congelamento revestido) cx = 1,2

1. Re deve ser determinada pela fórmula para o circuito 12 e, tendo z = h, d - diâmetro D em sooruzheniya. Znacheniya: para estruturas de madeira D = 0,005 m;para alvenaria D = 0,01 m;para estruturas de concreto e concreto armado D = 0,005 m;para estruturas de aço D = 0,001 m;para fios e cabos de diâmetro d D = 0,01d;para superfícies com nervuras com costelas de altura b D = b.

2. Para revestimentos ondulados com f = 0,04.

3. Para fios e cabos d ³ 20 mm, livre de gelo, o valor de cx pode ser reduzido em 10%

15 , em que - estruturas elemento do coeficiente de aerodinâmica de i-th;para perfis = 1,4;para elementos tubulares a serem determinados de acordo com o agendamento para o circuito 14, pelo que é necessário tomar le = l( ver Tabela 2 do Esquema 13. .);

Аi - a área da projeção do i-ésimo elemento da estrutura;

Ak - a zona delimitada por

construção 1. coeficientes aerodinâmicas para os circuitos 15 - 17 são mostrados para estruturas de rede cristalina com um contorno arbitrário e é assumido 2. A carga de vento ao ser a zona delimitada por Ak.

3. A direcção do eixo x, coincide com a direcção do vento e perpendicular ao plano do número estrutura

16 de apartamento estruturas de rede cristalina paralelas Por factor de projecto barlavento CX1 é definido da mesma como para o circuito 15.Dlya segunda e subsequentes construções

ex2 = skh1h. Para fazendas

de tubos em Re ³ 4 × 105

h = 0,95

1. Ver. Anotada.1 - 3 ao esquema 15.2.Re deve ser determinado pela fórmula para o esquema 12a, em que d é o diâmetro médio dos elementos tubulares;z - permitido ser tomado igual à distância da superfície da terra ao cinturão superior da fazenda.

3. Na tabela da figura 16:

h - tamanho mínimo do contorno;Para trusses rectangulares e trapezoidais h é o comprimento do menor lado do contorno;para estruturas de rede redondas h - seu diâmetro;Para estruturas elípticas próximas a eles em esboço, h é o comprimento do eixo menor;

b - distância entre fazendas vizinhas.

4. O coeficiente j para ser determinado de acordo com as instruções do esquema 15

j valor h para as explorações de perfis e tubos em Re, igual a 1/2
1 2 4 6
0,1 0,93 0,99 0,2 1 1 1
0,75 0,81 0,87 0,93 0,9
0,3 0,56 0,65 0,73 0,78 0,83 0,4 0
38 0,48 0,59 0,65
0,72 0,5 0,19 0,32 0,44 0,52
0,61 0,6 0,15 0 0,3 0,4 0,5
17 Malha torres e espacial cf treliça cX =( 1 + H) K1, onde cX - definido da mesma kak para o circuito 15;

h - é definido da mesma maneira que para o circuito 16.

1. Consulte a nota.1 - 3 ao esquema 15.2.cf refere-se à área do contorno do rosto de barlavento.

3. Quando a direcção do vento na diagonal tetraédrico torres quadrados coeficiente K1 para as torres de aço de elementos individuais deve ser reduzido em 10%;Para torres de madeira de elementos compósitos - aumentam 10%.Esboços

formas da secção transversal e a direcção do caminho de vento k1
1,0
0,9
1,2 mortalhas
18 e os elementos tubulares inclinadas está disposta no plano de fluxo skha cx = sin2 um, onde c, - é determinado de acordo com as instruções aosesquema 14 -
gruas limites de carga F, kN( tf)
Suspenso( manual e eléctrico) e mão ponte 10( 1) em cima
Eléctrica:
grupos de modos de uso geral 1K-3K 50( 5)
finalidade geral e especialgrupos de modos de 4K-7C, bem como fundição 150( 15)
grupo especial dos modos de operação 8K com carga da suspensão:
flexível 250( 25)
rígida 500( 50)

ANEXO 3 * cargas de neve
Necessário

ESQUEMA em fatores

ANEXO 4
obrigatóriaESQUEMAS Yelnia

vento cargas e coeficiente aerodinâmico com

ANEXO 5 Mandatory zoneamento

CARTÃO da URSS sobre as características climáticas

Mapa 1 *

zoneamento da Federação da Rússia sobre o peso do

cobertura de neve( Edição revista. Rev.№ 2).

Mapa 2

zoneamento da URSS da velocidade média do vento, m / s, para o inverno

Mapa 3

zoneamento da URSS por Mapa

pressão do vento 4

zoneamento URSS espessura da parede do mapa esmalte

5

zoneamento da URSS pelo valor médio mensaltemperatura do ar, ° C, em janeiro de

mapa 6

zoneamento da URSS significa temperatura ambiente mensal, ° C, 07 de julho mapa

zoneamento URSS pelo desvio médio de temperatura Sportsha dia mais frio do que a temperatura média mensal, ° C, em Janeiro de

zoneamento cobertura de neve URSS peso e uma espessura de parede de esmalte

( além do cartão 1 e 4)

ANEXO 6
Recomendado deflexão

DEFINIÇÃO E DESLOCAMENTO

1. Na determinação dadeflexões e deslocamentos deve levar em conta todos os principais factores que influenciam os seus valores( deformação elástica do material, de craqueamento, mantendo o circuito deformado mantendo elementos adjacentes, dando origem a interface nodos e bases).Com justificação suficiente fatores individuais podem ser ignoradas, ou para considerar um método aproximado.

2. Para as estruturas de materiais com fluência, é necessário ter em conta o aumento da deflexão com o tempo. Ao limitar a deflexão com base nas demandas fisiológicas deve ser considerado apenas um deslizamento de curto prazo exibiu imediatamente após a aplicação da carga, e com base tecnológica e design( com exceção do cálculo tendo em conta a carga de vento) e os requisitos estéticos e psicológicos, - creep completa.

3. Na determinação deflexões colunas Storey e cavaletes de cargas de guindaste horizontal colunas esquema de cálculo deve ser sujeito às condições do seu fecho, considerando que a coluna:

em edifícios e cremalheiras internas tem nenhum deslocamento horizontal na parte superior do suporte( se o revestimento não produzrígida no plano horizontal do disco, é necessário ter em conta o cumprimento horizontal dos pilares);

em racks abertos considerado como um console.

4. Na presença de equipamentos tecnológicos e de transporte, causando oscilações de estruturas de construção e outras fontes de vibração em edifícios( instalações), os valores limitantes de deslocamento de vibração, velocidade de vibração e aceleração de vibração devem ser tomados de acordo com os requisitos do GOST 12.1.012-90;"Normas sanitárias para a vibração dos locais de trabalho" e "Vibrações sanitárias admissíveis em edifícios residenciais" do Ministério da Saúde da URSS.Na presença de equipamentos e instrumentos de alta precisão sensíveis às vibrações das estruturas em que estão instalados, os valores limitantes de deslocamento de vibração, velocidade de vibração, aceleração de vibração devem ser determinados de acordo com condições técnicas especiais.

5. As situações calculadas1 para as quais é necessário determinar deflexões e movimentos e suas cargas correspondentes devem ser tomadas, dependendo da base para o cálculo dos requisitos.

_____________

1 Situação de liquidação é o complexo das condições que são levadas em consideração ao calcular os requisitos de design das estruturas.

A situação de liquidação é caracterizada pelo esquema de projeto de construção, tipos de cargas, os valores dos coeficientes de condições operacionais e fatores de confiabilidade, uma lista de estados limitantes que devem ser considerados nesta situação.

Se o cálculo se basear em requisitos tecnológicos, a situação do projeto deve corresponder ao efeito das cargas que afetam o funcionamento do equipamento de processo.

Se o cálculo se basear em requisitos de projeto, a situação de design deve corresponder à ação de cargas que podem causar danos a elementos adjacentes como resultado de deflexões e deslocamentos significativos.

Se o cálculo é feito com base nas necessidades fisiológicas da situação de projecto deve respeitar uma condição associada com as vibrações de estruturas, eo projeto deve levar em conta a carga afetando flutuações estruturais, limitando os requisitos destas regras e regulamentos referidos no parágrafo. 4.

Se o cálculo é feitocom base em requisitos estéticos e psicológicos, a situação do design deve corresponder à ação de cargas permanentes e prolongadas.

Para as estruturas de revestimentos e tetos concebidos com um elevador de construção e limitando a deflexão com requisitos estéticos e psicológicos, a deflexão vertical determinada deve ser reduzida pelo tamanho do elevador de construção.

6. A deflexão de elementos de revestimentos e tetos, limitada em função dos requisitos de projeto, não deve exceder a distância( distância) entre a superfície inferior desses elementos e a parte superior das divisórias, janelas de vitrais, janelas e caixilhos de porta localizados sob os elementos de rolamento.

O espaço entre a superfície inferior dos elementos de revestimento e pavimento e a parte superior das partições localizadas abaixo dos elementos, em regra, não deve exceder 40 mm. Nos casos em que o cumprimento destes requisitos está associado a um aumento na rigidez dos revestimentos e sobreposições, é necessário evitar esse aumento por medidas construtivas( por exemplo, colocando partições não sob feixes curvos, mas ao lado).

7. Se houver entre as paredes das divisórias de capital( quase a mesma altura que as paredes), os valores de l em pos.2 e guia.19 devem ser tomados iguais às distâncias entre as superfícies internas das paredes de mancais( ou colunas) e essas partições( ou entre as superfícies internas das partições, figura 4).

Damn.4. Esquemas para determinar os valores de l( l1, l2, l3) se houver entre as paredes das barreiras de capital

a - one no span;b - dois no intervalo;1 - paredes de suporte( ou colunas);2 - partições de capital;3 - sobreposição( revestimento) antes da aplicação da carga;4 - sobreposição( revestimento) após a aplicação da carga;5 - linhas de referência de deflexões;6 - vedação

8. As deflexões das estruturas de viga na presença de trilhos suspensos( ver Tabela 19, item 2, d) devem ser tomadas como a diferença entre as deflexões f1 e f2 das estruturas de vigas adjacentes( característica 5).

9. Os movimentos horizontais do quadro devem ser definidos no plano das paredes e divisórias, cuja integridade deve ser assegurada.

Para os esqueletos de edifícios de vários andares com uma altura superior a 40 m, a inclinação das células adjacentes aos diafragmas de endurecimento igual a f1 / hs + f2 / l( figura 6) não deve exceder( ver Tabela 22);1/300 para pos.2, 1/500 - para pos.2, a e 1/700 - para pos.2, b.

Damn.5. O circuito para a determinação da deformação do fardo, na presença de guindaste suspensa faixas

1 - construção do telhado 2 - Grua de popa caminho do feixe;3 - guindaste;4 - posição inicial das estruturas da viga;f1 - deflexão da estrutura de viga mais carregada;f2 - deflexões de adjacentes às estruturas de vigas mais carregadas

Devil.6. condução células andares de inclinação 2 adjacentes para os diafragmas de reforço 1 em edifícios com Svjaseva andaime( linha pontilhada mostra o quadro original antes da aplicação do circuito de carga)

ANEXO 7 *
Necessário

EDIFÍCIOS CONTABILIDADE PASSIVO *

1. Para conta para a responsabilidade de edifícioscaracterizada por consequências económicas, sociais e ambientais de suas falhas, três níveis são estabelecidos: I - superior, II - normal, III - reduzida.

aumento do nível de responsabilidade deve ser tomado para edifícios e estruturas, e cuja avaria possa levar a impactos econômicos, sociais e ambientais graves( tanques de petróleo e produtos petrolíferos com uma capacidade de 10.000 m3 ou mais, oleodutos, edifícios industriais com vãos de 100 metros e mais, instalações de altura comunicação100 m e mais, bem como edifícios e estruturas únicas).nível normal

de responsabilidade deve ser tomado em edifícios de construção em massa( residenciais, industriais, edifícios agrícolas e instalações públicas).

redução do nível de responsabilidade deve ser tomado para a construção de sazonais ou auxiliares( estufas, estufas, pavilhões de verão, pequenos armazéns e instalações semelhantes).

_____________

* Esta aplicação é uma seção 5 do GOST 27751-88, com alterações aprovadas pelo Comité dos Estados-RF para Arquitetura e Construção de 21.12.93 № 18-54.

2. Ao calcular estruturas de suporte de carga e os motivos para considerar responsabilidade coeficiente de confiabilidade gn, considerado igual: ao nível de responsabilidade I - maior do que 0,95, mas não mais de 1,2;para Nível II - 0,95;para o nível III - menos de 0,95, mas não inferior a 0,8.

O fator de responsabilidade deve ser multiplicado pelo efeito de carga( forças internas e movimentos de estruturas e bases causadas por cargas e impactos).

Nota. Este parágrafo não se aplica aos edifícios e estruturas, tendo em conta a responsabilidade dos quais é definido nos regulamentos pertinentes.

3. Níveis de edifícios e estruturas de responsabilidade também devem ser considerados ao determinar os requisitos para a durabilidade de edifícios e estruturas, alcance e volume de pesquisas de engenharia para construção, o estabelecimento de regras de aceitação, testes, manutenção e diagnósticos técnicos de objetos de construção.

4. A classificação do objeto para um determinado nível de valores de coeficiente de responsabilidade e gn escolha produzido desenhador geral em consulta com o cliente.

2. PESO DE CONSTRUÇÕES E SOLOS

2.1.valor normativo estruturas pré-fabricadas de peso a ser determinado com base em padrões, desenhos de trabalho ou fabricantes de dados de passaporte, outras estruturas de edifícios e do solo - para o tamanho do design e materiais peso específico e solos no que diz respeito às suas condições de humidade na construção e operação de edifícios.

2.2.Os fatores de confiabilidade para a carga gf para o peso de estruturas de construção e solos são apresentados na Tabela.1. A Tabela 1 Estruturas Estruturas

e tipo de solo de carga segurança fator gf Construções
:
de metal 1,05 concreto
( com uma densidade média de mais do que 1600 kg / m3), de betão, alvenaria, alvenaria reforçado, madeira 1,1
betão( com uma densidade média de 1600 kg / m3 ou menos), de isolamento, de nivelamento e de terminar as camadas( materiais em placa em rolos, infiltração, acopladores, etc) realizada:
fábrica 1,2
na construçãosite 1,3
Primers:
em habitat naturalii 1,1 grandes quantidades
1,15

Notas: 1. Ao verificar a estabilidade das estruturas sobre as disposições contra a inclinação, assim como em outros casos, quando o decréscimo no peso das estruturas e solos pode piorar as condições de trabalho para construção, deve resolver, tendo pesoestrutura ou parte do mesmo, o fator de confiabilidade para a carga gf = 0,9.

2. Ao determinar as cargas do solo, as cargas dos materiais armazenados, equipamentos e veículos transferidos para o solo devem ser levados em consideração.

3. Para estruturas metálicas nas quais as forças do próprio peso excedem 50% do esforço total, deve-se tomar gf = 1.1.

9. OUTRAS

CARGA Sempre que necessário, prevista regulamentos ou conjunto, dependendo das condições de construção e operação de edifícios deverão ter em conta outras cargas que não estão incluídas nestas regras( carga de processamento especial, umidade e encolhimento efeitos, efeitos do vento, causando um aerodinamicamente instávelflutuações, como galope, buffeting).